Medo no 'Fonsequistão'

Moradores e autoridades vão se reunir em ato pela paz no próximo sábado

Por paola.lucas

Niterói - Quem mora no Fonseca e não soube de pelo menos um caso de assalto ou troca de tiros na região? O bairro já foi até apelidada de ‘fonsequistão’ e por lá os comentários entre moradores e comerciantes não têm sido outros que não a violência. Para simbolizar a luta pela paz, no próximo sábado acontecerá o ato ‘Diga Não à Violência, Fonseca Quer Paz’, no Horto da região.

Nas redes sociais os relatos de pânico dos moradores são constantesReprodução Internet

O ato foi um dos resultados da reunião entre líderes comunitários e religiosos, moradores, diretoras de escolas e unidades de saúde e representante do Conselho Comunitário de Segurança com o prefeito Rodrigo Neves.

A reunião na última segunda serviu para discutir questões de segurança. “Não vamos perder este bairro por causa da violência. Tenho certeza de que, com essa iniciativa, teremos uma trajetória muito melhor”, disse o prefeito Rodrigo Neves.

Morador da rua Tenente Osório, próxima a um dos acessos à Vila Ipiranga, José Raimundo Holanda apoia o ato pela paz. “Moro aqui há quase 50 anos e faz tempo que não percebo um clima tão tenso pelas ruas. Está complicado seguir a rotina”, desabafa.

Durante a reunião, o chefe do Executivo municipal também informou que a Vila Ipiranga, um das áreas mais castigadas, vai receber a próxima edição do Ação Cidadã e que todo o bairro vai ganhar novas atividades culturais, de lazer e de esportes.

O prefeito revelou ainda que vai transformar o prédio da Fundação Leão XIII na Vila Ipiranga em um Centro de Cidadania. Onde vai reunir uma série de projetos sociais para a comunidade.

Apesar da responsabilidade pela segurança pública ser dos governos estaduais, a prefeitura também investiu na área. Exemplo disso foi a inauguração do Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp) com 200 câmeras que têm colaborado na prisão de suspeitos e apreensão de carros roubados.

Últimas de Rio de Janeiro