Novos horizontes para todos

Associação Fluminense de Amparo a Cegos atende 640 paciente por mês e é referência no estado

Por O Dia

Niterói - Cercado por amendoeiras de copa alta, muita gente passa por ela e não vê. Mas bem ali, no Ponto Cem Réis, está a maior referência no acompanhamento a deficientes visuais do Rio de Janeiro, a Associação Fluminense de Amparo aos Cegos (Afac). Por ali são atendidos cerca de 640 pacientes por mês entre deficientes visuais e intelectuais (autistas, downs e outros).

A principal missão da Afac é ambientar seus pacientesDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

Responsável técnica pelo centro especializado de reabilitação da Afac, Joana Merat explica que a principal missão da casa é ambientar seus pacientes para que sejam reinseridos no meio social. “Nosso trabalho envolve todas as etapas da vida. Desde a estimulação precoce com bebes até trabalhos direcionados para idosos”, conta.

Para ampliar e melhorar o trabalho, a instituição firmou uma parceria com a Universidade Federal Fluminense (UFF). A partir de agora a casa conta com a colaboração científica dos alunos para a construção de melhores oportunidades para os pacientes.

A participação acadêmica na Associação já existia mesmo antes do acordo e sempre foi bem-vinda. Tanto que surgiu a necessidade de oficializar esses encontros.

Um bom exemplo é o da professora de psicologia da UFF, Marcia Moraes. Ela tem um trabalho de pós-graduação no campo da reabilitação visual junto à Afac há 13 anos. “Acho muito importante esse ganho na formação dos alunos. Ao passar por essa pesquisa se fortalecem para o mercado”, esclarece Marcia.

No ano passado o aluno de mestrado em Computação, Hedi Minin, também testou em pacientes da instituição um software que lê provas do Enem para cegos. “Os pacientes gostaram muito. Disseram que é melhor do que o sistema atual, onde uma pessoa lê a prova para eles”, revela Joana, técnica da Afac.

Desde 1994 a instituição é habilitada para atendimento via SUS. Devido a alta procura, a Associação também passou a oferecer serviços particulares de consultas em oftalmologia e psicologia, além de serviços de ótica para quem precisa usar óculos de grau. Tudo a preços populares.

A parceria com a UFF tem um prazo de cinco anos, podendo ser estendido. Quer conhecer a Afac? Fica na Rua Padre Leandro, 18, no Fonseca, atrás da igreja de São Lourenço.

AQUI TAMBÉM TEM IMPLANTE DE PRÓTESE

Em um convênio com a UFRJ, a partir do dia 7 de março, profissionais de terapia ocupacional dos centros de reabilitação visual de todo o Brasil vão dar início a um curso de capacitação para trabalhar com próteses oculares.

No Rio, a Afac é a única associação habilitada para realizar o procedimento. Para ser atendido, o paciente deve procurar um posto de saúde para identificar a necessidade do atendimento. As próteses são liberadas pelo SUS para todo o Estado do Rio.

Últimas de Rio De Janeiro