Os ingleses do rúgbi vêm aí!

Alunos da ONG UmRio e paratletas vão se encontrar amanhã, às 12h30, na Andef

Por O Dia

Niterói - Eventos que tratam a inclusão inversa no esporte têm sido recorrentes na cidade por conta dos Jogos Olímpicos desse ano. É isso que a equipe britânica de rúgbi paralímpico vai fazer. Aproveitando a passagem pelo Rio para os eventos testes, os paratletas vão participar de um encontro com alunos de rúgbi da ONG UmRio, de São Gonçalo.

A UmRio trabalha sem recurso financeiro. Depende 100% do trabalho voluntárioDivulgação / Monise Valente

Vai ser amanhã, às 12h30, na Associação Niteroiense de Deficientes Físicos (Andef), no Rio do Ouro. O objetivo é promover a modalidade por aqui e estimular a troca de experiências entre deficientes e não deficientes sobre as limitações encaradas por ambos. E também mostrar as ferramentas disponíveis para enfrentar os preconceitos.

Idealizador da ONG UmRio, Robert Malengreau explica que</CW><CW-31> mais do que um encontro, o evento será estimulante aos jovens talentosos da </CW><CW-25>ONG. </CW>Uma forma de superar as dificuldades enfrentadas.

Ele conta que dos 11 jovens selecionados para o programa de alto rendimento da Confederação Brasileira de Rúgbi em 2015, nove eram da UmRio. Mas por questões financeiras não puderam dar continuidade aos treinos.

“Eles tinham que se deslocar até o Rio Cricket (Icaraí) e não puderam arcar com as passagens por muito tempo. Temos ótimos alunos, mas esbarramos nessas questões”, revela Malengrea<MC0>u.

Ele e toda a equipe da UMRio acreditam no potencial do rúgbi como ferramenta para quebrar barreiras sociais, e promover valores de cidadania e inclusão de futuras gerações no meio social e laboral.

“Começamos pelo esporte e terminamos com esses meninos e meninas preparados para o mercado de trabalho”, conta Malengreau.

Jogador da Seleção Brasileira de 7s e embaixador da UmRio na Inglaterra, <MC0>Juliano Fiori vem ao Brasil para participar do encontro de amanhã. Ele conta que quando começou a colaborar na ONG, em 2013, já via muito potencial naqueles jovens. “Eram rápidos, inteligentes e esforçados. Dois anos e meio depois vejo uma turma muito bem preparada”, diz.

E para quem quiser acompanhar o evento de perto, a Andef fica na Rodovia Pref. João Sampaio 4830, Rio do Ouro, na divisa de Niterói com São Gonçalo. O encontro também terá a presença de paratletas da seleção brasileira de basquete em cadeira de rodas.

Últimas de Rio De Janeiro