Conheça as dificuldades de quem opta pelo parto normal

Em Niterói o índice de cesarianas chega a 90% na rede particular de saúde

Por O Dia

Niterói - Após meses de espera, é chegado o momento tão esperado e o bebê vai nascer. A pergunta é: vai ser normal ou cesárea? Segundo a OMS, o ideal é que apenas 15% dos partos de uma população sejam cesáreas. Mas os números reais indicam que a população de Niterói corre no sentido contrário. De acordo com a Associação Médica Fluminense, cerca de 90% dos partos da rede privada da cidade são cesáreas e na rede pública o índice fica na média de 45%. É preciso baixar.

O Ishtar é um grupo de apoio onde as mulheres podem tirar dúvidas e conhecer novas opções de partoErnesto Carriço / Agência O Dia

A doula Gisele Muniz, que já assistiu cerca de 150 partos, diz que as mulheres buscam cada vez mais opções naturais de parto, inclusive sem intervenção medicamentosa, mas os hospitais daqui não têm a estrutura necessária para atender essa demanda. Ela conta ainda que um fator que contribui muito para o aumento no índice de cesáreas é a influência dos médicos obstetras. “Uma pesquisa da Fiocruz já mostrou que 70% das mulheres começam a gravidez querendo parto normal, mas acabam convencidas pelos médicos de que a cesárea é a melhor opção”, afirmou.

Normal ou cesárea, o mais importante é que o parto seja humanizado, ou seja, que respeite a vontade da mãe e do pai da criança. A historiadora Luiza Zelesco, de 28 anos, escolheu ter um parto domiciliar. O pequeno Theo nasceu saudável e a experiência, ela conta, foi incrível. “Uma enfermeira obstetra me acompanhou desde o início, fez todos os exames e constatou que eu poderia ter neném em casa. A gente também já tinha na cabeça planos secundários em caso de emergência, mas deu tudo certo”, relembrou.

Presidente da Associação Médica Fluminense, o obstetra Benito Petraglia afirma que ter filho em casa é um risco para o bebê e que a cirurgia é um meio seguro. Mas ele diz ainda que muitos médicos optam pela cesárea por ser mais cômodo e oferecer uma remuneração mais alta.

O primeiro passo para a decisão é o conhecimento. Para saber mais sobre o universo de partos naturais, as reuniões do Ishtar são ótimas opções. Há grupos no Vital Brazil e em Itaipu: wwwishtar-niteroi.blogspot.com.br.

Vereadores querem legalizar doulas

Enquanto o Conselho de Medicina do Rio proibiu a entrada de doulas nos hospitais do estado, em Niterói a profissão está próxima de ser regulamentada. Os vereadores Henrique Vieira (Psol), Paulo Eduardo (Psol), Renatinho (Psol) e Leonardo Giordano (PCdoB) já assinaram um projeto de lei que libera a entrada dessas profissionais em todas as casas de saúde da cidade com multa prevista. O PL aguarda votação no plenário da Câmara.

Doulas são profissionais que dão suporte emocional e psicológico às gestantes antes e depois do nascimento do bebê. A atuação das doulas reduz em 50% as chances da realização de uma cesária.

Últimas de Rio De Janeiro