Novos investimentos na região oceânica

Prefeitura vai receber R$ 350 milhões para obras na área e moradores cobram melhorias básicas

Por O Dia

Niterói - Parece que finalmente os olhos da prefeitura estão voltados para a Região Oceânica (RO). Obras de mobilidade com a chegada da Transoceânica e do túnel Charitas-Cafubá estão a todo vapor. E agora a Cooperação Andina de Fomento (CAF) liberou o equivalente a R$ 350 milhões para obras de infraestrutura, drenagem, pavimentação e mobilidade por lá.

A Rua José Florêncio Pereira%2C transversal à Av. Central%2C sofre com chuvasArquivo


A novidade parece ser boa, mas os moradores da região querem saber como o dinheiro será usado. Isso porquê há muitos problemas miúdos no dia a dia deles. Na casa da maquiadora Thayná Brito, no Campo Belo, só tem iluminação pública porquê há 15 anos seu pai instalou lâmpadas em trechos da rua. Ela conta também que com o início das obras do BHLS sua rua que nunca ficou alagada, agora vira um rio em dias de chuva.

“Parece que eles desviaram a rede de águas pluviais da região para o canal que passa por aqui”, desabafou.
Mãe da Thayná, a motorista particular Simone Barcelos diz que há ruas próximas à Avenida Central onde o asfalto vai somente até determinado trecho. No Engenho do Mato, muitas vias ainda estão sem asfalto.

“Gastei cerca de R$ 700 recentemente com suspensão, balanceamento e pneus novos para o carro”, reclamou Simone.

E a advogada Christiane Reis diz que a falta de iluminação e de limpeza pública são problemas recorrentes. “É muito difícil ver um gari por aqui e as ruas escuras são pratos cheios pra assaltantes”, diz.

A prefeitura disse que com o novo aporte vai investir em pavimentação e requalificação de vias, macrodrenagem, além de expansão e implantação de sistema cicloviário. A intenção é construir um Centro de Referência em Sustentabilidade Urbana, recuperar rios, implantar projetos de ecoturismo e gestão das praias e um plano de gestão ambiental específico para a Região.

Últimas de Rio De Janeiro