Projeto #Éobad revela talentos para o esporte e para a vida

Escolinha gratuita de badminton no Cubango transforma crianças em verdadeiras atletas

Por O Dia

Niterói - E se alguém perguntasse o que o badminton tem a ver com o desastre no morro do Bumba, em Niterói? No caso do projeto ‘#Éobad’, tem tudo! É que foi ao ver a tristeza e a falta de esperanças no olhar das crianças que sobreviveram aos deslizamentos de 2010 que o professor de educação física Gabriel Alcantara decidiu fazer algo para melhorar um pouco a vida daqueles que ainda tinham muito o que percorrer pela frente. 

A escolinha tem atualmente cerca de 50 alunos e revelou a número 1 no ranking brasileiro de badmintonAlexandro Auler / Agência O DIA

Gabriel já praticava o badminton e tinha algumas raquetes e petecas em casa. De forma voluntária e sem qualquer ajuda financeira, resolveu alugar a quadra de esportes do Centro Pró Cubango e convidou algumas crianças da região para conhecer e praticar um pouco do esporte, de graça. A ideia deu tão certo, que naquele mesmo ano ele já levou seus alunos para as primeiras competições. E hoje ele tem 50 alunos.

Em quase seis anos a equipe cresceu e formou atletas como a Maria Elizabeth Ferreira, de 13 anos, número um no ranking brasileiro feminino de badminton. Moradora do Bumba, Beth já foi selecionada para três Panamericanos, inclusive para a próxima edição, em Lima, no Peru, mas por falta de patrocínio, ela vê seu sonho ficar cada vez mais distante.

“Às vezes desanima um pouco, mas não posso parar”, desabafa a menina que perdeu casa, familiares e amigos nos deslizamentos e conseguiu superar as dificuldades com a ajuda do esporte.

Além da Elisabeth, o professor destaca outros nomes que são promessas na modalidade como o Welton Menezes, 15, o Victor Pimentel, 16 e o Raphael Pires, 18, que vêm alcançando excelentes colocações nos campeonatos estaduais. Tem também o Felipe Ribeiro, que garantiu uma vaga na seleção brasileira sub 17 e se classificou para o Pan 2019, e com o apoio do Instituto Trevo vai conseguir dar mais esse passo na sua trajetória.

“Falo para os meus alunos que hoje eles não são mais crianças carentes sobreviventes de um desastre, são atletas vitoriosos. Fico muito feliz em ver onde chegaram”, comenta Gabriel.

Quem quiser conhecer, participar das aulas ou mesmo apoiar o projeto, pode procurar o professor Gabriel no telefone 99398-1972. As aulas acontecem toda segunda-feira às 15h e terças e quinta às 14h. Na Rua Noronha Torreão 684, no Cubango. 

Curiosidades sobre o badminton

Com petecas que podem voar a 400 km/h, o badminton exige reflexos rápidos dos jogadores e atenção máxima do público. O esporte, que estreou em Barcelona 1992, tem torneios masculinos e femininos, individuais e de duplas, além de duplas mistas.

Últimas de Rio De Janeiro