Cultura de olho em novas parcerias

No embalo do desfile da Luis Vuitton, Fundação de Arte busca mais patrocínios para os equipamentos culturais da cidade

Por O Dia

E não é que Niterói está na vanguarda quando o assunto é Cultura! O município vem se destacando desde 2013 na busca por parcerias tanto no setor privado quanto no público. Com o modelo, a Fundação de Arte de Niterói (FAN) conseguiu arrecadar R$ 25 milhões nos últimos três anos e meio. O valor é quase o mesmo que o orçamento anual da pasta, que é de R$ 27 milhões.

Parcerias como a do MAC com a Louis Vuitton, que trouxe os olhares do mundo para a cidade, gerou um aporte de R$ 1,5 milhão para a Cultura municipal. 

Desfile da Louis Vuitton rendeu aporte de R%24 1%2C5 milhão para o municípioDivulgação


Outro exemplo de altas cifras é a inauguração do Museu do Cinema, no Caminho Niemeyer. Uma parceria entre prefeitura, Petrobras e a empresa Reserva Cultural, o que deixa claro o objetivo de levantar recursos. Para isso a FAN garantiu um aporte de R$ 50 mil ao mês, provenientes da outorga - espécie de antecipação do valor que vai ser arrecadado no futuro com o empreendimento -, assinada pela Reserva Cultural ao ganhar a licitação.

Com isso, Niterói vai trabalhar com um caixa de R$ 600 mil ao ano para dar sustentabilidade ao museu ao longo dos próximos 25 anos.

A ideia é conseguir parcerias para Solar do Jambeiro, Museu do Ingá, Teatro Popular, Municipal, Museu Janete Costa e por aí vai. “Vamos aproveitar que estamos na crista da onda, com visibilidade internacional após o desfile da nova coleção da Louis Vuitton no MAC para buscar mais parcerias desse porte e assim tentar tornar os equipamentos culturais da cidade mais autossustentáveis”, explica Diniz.

E com a aprovação da nova Lei de Cultura da Cidade, Niterói se mostra melhor estruturada para buscar novas parcerias. “Se conseguíssemos um mantenedor para cada um dos nossos equipamentos culturais seria o ideal. Essa é o nosso objetivo”, pontua Diniz.

Secretário de Cultura%2C Artur Maia (esq.) acredita que as parcerias nesse momento de crise são fundamentais. “A ideia é não perder o trem”%2C afirmaMárcio Mercante / Agência O Dia


Dentre as conquistas para a cultura na cidade através de parcerias está a entrega de uma sede para a Companhia de Ballet de Niterói, um espaço no prédio do antigo Abrigo dos Bondes foi cedido pelo Supermercado Guanabara e a CEG ofereceu um valor de R$ 600 mil ao ano para a Companhia. A Imprensa Oficial também cedeu espaço em sua sede para a realização do Projeto Aprendiz. Além disso, o Ministério da Cultura já aprovou R$ 1,5 milhão para o desenvolvimento do programa Cultura Viva, que será iniciado até o fim deste mês.

Últimas de Rio De Janeiro