Cervejeiros artesanais de Niterói se refugiam em Friburgo

De olho em incentivos fiscais, sócios da cerveja Máfia decidem subir a Serra para abrir a própria fábrica

Por O Dia

Niterói - Com sabores marcantes de receitas que levam grãos de mostarda e limão siciliano, a cerveja artesanal Máfia chega com tudo este mês no mercado cervejeiro. São três rótulos: Máfia Sicilia, Máfia New York e Máfia Chicago. Os cinco niteroienses donos da marca já deram o start para abrir a própria fábrica. Mas como por aqui não há benefícios para o setor, a opção foi subir a Serra e instalar a fábrica em Friburgo, primeiro município a oferecer isenção fiscal para microcervejarias.

As garrafas da Máfia são as únicas no mundo com tecnologia de controle de colarinho. Serve com e sem espumaDivulgação / Carlos Martins

“Hoje fabricamos em Piracicaba (SP) e Maricá (RJ) como ciganos, usando um espaço alugado na fábrica de outro produtor. Acho que nossa prefeitura deveria incentivar a fabricação por aqui. Isso atrai novos empresários, gera mais empregos e turismo, além da arrecadação”, disse Carlos Fernando Ribeiro, um dos sócios da cervejaria.

A lei de Friburgo garante isenção de 100% do IPTU e da taxa de emissão do Alvará, além de 50% de isenção de imposto sobre venda. “Observamos o mercado e se a prefeitura não entrasse para incentivar e legalizar o setor ficaríamos no submundo desse negócio”, avaliou o subsecretário de planejamento e desenvolvimento econômico da cidade, Carlos Boueke.

Ele diz ainda que uma fábrica de médio porte - com produção de 10 mil litros por mês - emprega até cinco pessoas diretamente, o que gera o dobro de vagas indiretas.

Em Niterói, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico ainda está bolando um projeto que atenda o segmento cervejeiro. “Estamos examinando a possibilidade de incentivo fiscal ou a organização de eventos para dar destaque a essa atividade”, disse o secretário Joaquim Peixoto. 

Últimas de Rio De Janeiro