Trecho da nova passarela na Avenida do Contorno causa medo aos pedestres

Pouca iluminação e sem segurança no local, a região é o ponto preferido dos assaltantes

Por O Dia

Niterói - Inaugurada em setembro do ano passado, a passarela da Avenida do Contorno que fica próxima ao atacadista Assaí se tornou um parque de diversões para os assaltantes. Com pouca iluminação e sem segurança no entorno, o equipamento também não atende à necessidade de quem precisa pegar as linhas de ônibus que vêm de São Gonçalo e seguem para o Rio. Para isso, ainda é preciso andar mais um trecho de cerca de 200 metros e atravessar duas faixas em uma pista de alta velocidade da rodovia Niterói-Manilha. 

As obras de instalação da passarela custaram R%24 5 milhões à Auto Pista FluminenseDivulgação

A dona de casa Claudia de Lucas foi abordada na última sexta-feira por um rapaz aparentemente drogado que tinha uma pedra enorme em uma das mãos. “Fiquei apavorada, estava com a minha neta de quatro anos. As pernas tremiam, mas fui conversando com ele até que desistiu de me assaltar”, conta Claudia, que não pretende passar por ali novamente.

Responsável pela segurança da rodovia, a PRF disse que são realizadas rondas diárias no local. Para isso, contam com motocicletas, carros blindados e até um helicóptero. A rodovia também é monitorada por câmeras com até 2km de alcance, porém a tal passarela fica em um ponto cego.

O ponto de ônibus antes da Ponte fica isolado em uma área deserta. Nem ambulantes circulam pela regiãoMaíra Coelho / Agência O Dia

Nesses cinco primeiros meses de 2016, foram 139 prisões feitas na Niterói-Manilha pela PRF. Segundo a assessoria do órgão, para facilitar a ação dos agentes, é importante que a população registre as queixas. Isso facilita a identificação e prisão dos suspeitos, que muitas vezes são capturados, mas acabam soltos por falta de provas.

A passarela é de responsabilidade da concessionária Auto Pista Fluminense, que, no ano passado, gastou cerca de R$ 100 milhões em obras de alargamento da rodovia.

Diretor e superintendente da empresa, Odílio Ferreira explica que o elevado está ali para atender, principalmente, a quem precisa chegar à Ilha da Conceição e não para quem quer seguir para o Rio, pela rodovia. “Foram muitas reuniões até decidir o local ideal para instalar a passarela. Foi uma decisão comum entre Ponte SA, na época, Polícia Rodoviária Federal (PRF) e nós”, conta.

Ferreira diz que a passarela tem iluminação de LED ao longo de sua extensão. E, ciente do perigo que é circular por ali, o diretor afirmou que, no prazo de 60 dias serão instaladas mais 12 luminárias de LED no trecho entre o ponto de ônibus próximo ao acesso da passarela e o Assaí.

Últimas de Rio De Janeiro