Novo espaço para educar

Iniciativa Waldorf chega como alternativa às escolas tradicionais

Por O Dia

“A nossa tarefa deve ser a de formar seres humanos livres, que sejam capazes de, por si mesmos, encontrar propósito e direção para suas vidas”. A frase é do austríaco Rudolf Stainer, que há quase 100 anos criou a pedagogia Waldorf na Alemanha pós guerra.

De acordo com a Federação de Escolas Waldorf do Brasil, já são 64 escolas em todo o país, sendo três no Rio de Janeiro. Em Niterói, a filosofia vem se fortalecendo entre alguns pais e até o ano que vem, o Instituto Miracema, que fica no Bairro de Fátima vai se tornar a primeira escola Waldorf por aqui.

Tudo começou com a pedagoga Luciana de Oliveira. Ela criou um site e começou a divulgar palestras sobre o tema. A partir daí a rede foi crescendo. “Hoje já são 10 famílias”, conta.

O instituto é formado por pais e professores e chega como uma alternativa às escolas tradicionais. O dia a dia na Waldorf se baseia não só no pensar, mas também no querer e no sentir, respeitando o tempo de cada indivíduo. N nesse contexto, as artes
em geral têm papel fundamental, explica a professora de Waldorf Tereza Bredariol. 

Novas famílias procuram informações sobre o método toda semana. Conteúdo está no FacebookDivulgação

Sem fins lucrativos, o instituto trabalha com faixas de contribuição mensal mínima, média e máxima, sempre avaliadas caso a caso. 

Os dois filhos do professor Jader Lopes foram educados em escolas Waldorf até o 9º ano e não tiveram dificuldades ao entrar no ensino médio. “Essa formação fez toda a diferença na conduta humana dos meus filhos”, revela.

Últimas de Rio De Janeiro