Pólo do aço, Volta Redonda pretende trazer 100 mil pessoas para feira

Lojistas buscam alternativas para atrair negócios ao município, apontado como centro empresarial do Médio Paraíba

Por O Dia

Rio - Berço da indústria no país, Volta Redonda convive com os fantasmas da crise econômica e da forte concorrência dos chineses. Por conta dessas dificuldades, a saída estratégica pode estar em outro setor: o comércio. Lojistas buscam alternativas para atrair novos negócios ao município, apontado como centro empresarial do Médio Paraíba, região com 12 cidades e 875.542 habitantes, segundo dados do IBGE de 2014.

Com esse objetivo, comerciantes de todo o estado se reúnem na cidade na manhã desta quinta-feira, na quarta etapa regional do Mapa Estratégico do Comércio, no Hotel Bela Vista. Depois de passar por Angra dos Reis, Miguel Pereira e Três Rios, o evento idealizado pelo Sistema Fecomércio RJ em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) chega à região responsável pelo funcionamento de 21.022 estabelecimentos, 6% do estado.

Mapa do Comércio reúne o setor para debater questões de crescimentoDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

Segundo levantamento do Mapa, há 81.442 empregos da região — mais da metade deles em Volta Redonda, que concentra grande parte do comércio do Médio Paraíba. São 45 mil empregos gerados em 8,5 mil estabelecimentos.

Um dos trunfos do comércio é o aprimoramento da feira de negócios, que voltou às atividades em outubro do ano passado. A ideia é atrair mais de 100 mil pessoas de toda a região para negócios de ponta de estoque do comércio de roupas e calçados. Mas também há ofertas de veículos usados e até pacote de viagens oferecidos por agências de turismo.

Para Jerônimo Pereira dos Santos, diretor da Fecomércio RJ e presidente do Sindicato do Comércio Varejista (Sicomércio) de Volta Redonda, a retomada do crescimento do comércio passa pela busca por novos investimentos, mas também pela venda de aço para competir contra a China, maior produtor e exportador mundial.

“O DNA da indústria está em Volta Redonda. Mas todo mundo está comprando aço da China. Com a crise, a construção civil parou. A indústria automobilística teve uma queda violenta. Precisamos que a indústria volte a crescer, com investimentos federais, estaduais e municipais. Mas é essencial a busca por novos empreendedores”, argumenta.

O setor também acredita na importância da expansão da rede hoteleira na cidade, para atender o público em eventos de grande porte.

?Números
R$ 9,3 bilhões
É o Valor Adicionado em 2012 da região, segundo o Mapa. Representa 39,1% do índice no Médio Paraíba

44%
Índice de emprego no varejo na área. 30% são de serviços, 13% de turismo e 6% no comércio atacadista

4º lugar
Posição de Volta Redonda no ranking do estado no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), com 0,771, atrás de Niterói, Rio de Janeiro e Rio das Ostras, respectivamente. Os dados são do IBGE

Últimas de Rio De Janeiro