Um em cada três empresários do Mapa do Comércio tem mais de 60 anos

Segundo FGV Projetos, 50 anos é a idade média dos comerciantes

Por O Dia

Rio - Eles são os senhores dos negócios e estão à frente da busca por alternativas para retomar as vendas em meio à crise. Esqueça a imagem de protagonismo restrita a jovens conectados às novas tendências e no começo da trajetória profissional. O futuro da economia depende desses homens de cabelos brancos, com muita história para contar. São avôs, mas nem pensam em aposentadoria. A ideia é manter um legado de sucesso para as próximas gerações.

A idade média dos comerciantes que participam do Mapa organizado pelo Sistema Fecomércio RJ é de 50 anos%2C aponta levantamentoDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

Um levantamento parcial feito pela Fundação Getúlio Vargas Projetos, nas primeiras etapas do Mapa Estratégico do Comércio, aponta que um em cada três empresários que responderam ao questionário nos eventos tem idade superior a 60 anos. E há apenas 14,3% com até 30 anos. A idade média dos comerciantes, ainda de acordo com o estudo, é de 50 anos.

“É uma surpresa essa participação relevante de empresários de mais de 60 anos, com ampla atividade. São pessoas que estariam, em tese, a caminho da aposentadoria. Mas estão mostrando interesse em ampliar o conhecimento”, analisa Pedro Paulo Gangemi, coordenador da FGV Projetos.

Orlando Pimentel, de 72 anos, convive com um problema neurológico há três décadas. Mas nem isso faz com que cogite a ideia de parar. “Eu tenho um compromisso com a minha história. Depois de morrer, quero que tenham uma referência boa de mim”, explica o empresário, presidente do Sindicato do Comércio Varejista (Sicomércio) de Barra do Piraí há 11 anos.

O patriarca da família tem três filhos, quatro netos e um segredo: “Depois do almoço, desligo o celular, coloco o pijama e durmo por uma hora. Aguento bem porque divido o dia em dois. Também faço pilates e academia para segurar o tranco”, diz, animado.

Aos 62 anos, o empresário Jerônimo dos Santos já está deixando a gestão de uma rede de 60 farmácias e 1,3 mil funcionários nas mãos dos filhos. Mas continua à frente da presidência do Sicomércio de Volta Redonda, sede da quarta etapa do Mapa, na semana passada. “A ideia é passar o bastão para que os filhos assumam. Mas são poucos aqueles que conseguem se desligar dos negócios aos 60”, acredita.

Últimas de Rio De Janeiro