Cerca de 500 unidades comerciais de Angra darão descontos de até 70%

Iniciativa inédita faz parte do calendário de eventos da região, após primeira etapa regional do Mapa Estratégico do Comércio

Por O Dia

Rio - Empresários de Angra dos Reis preparam os últimos detalhes para o ‘Angra Mais por Menos’, que deve envolver cerca de 500 estabelecimentos na cidade, com descontos de até 70% para os clientes no próximo mês. A iniciativa inédita faz parte do calendário de eventos da região, que começou a ser idealizado no fim de março, após a primeira etapa regional do Mapa Estratégico do Comércio, do Sistema Fecomércio RJ.

Equipes da organização do ‘Angra Mais por Menos’ já estão nas ruas para atrair parceiros de uma iniciativa que pretende envolver comerciantes de todas as regiões da cidade. A estratégia é simples: criar atrações para estimular a presença de consumidores em potencial nas ruas, que podem ser fisgados pelos preços promocionais dos comércios parceiros da campanha.

Bonecos com perna de pau vão distribuir pipoca e algodão doce para a crianças pelas ruas. Cabeleireiros e maquiadoras estarão à disposição das mulheres na Praça da Matriz. Artistas de rua, grupos de teatro, desfile de modelos e músicos farão apresentações. A ideia surgiu em uma parceria entre o Sistema Fecomércio RJ e o Sindicato do Comércio Varejista (Sicomércio) de Angra, com ações do Senac RJ e Sesc RJ.

Gastronomia do Mar de Mangaratiba%2C primeiro evento do calendário%2C atraiu cerca de 10 mil pessoasDivulgação

Serão 12 dias de ações, entre os dias 4 e 16 de julho. Além das atividades voltadas para atrair os clientes, os empresários locais irão assistir a uma palestra do consultor Erik Penna, MBA em gestão de pessoas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), no primeiro dia da ação.

“A ideia de tomar uma atitude nesse momento de dificuldade que o país está passando surgiu durante o Mapa do Comércio. O comerciante não pode mais ficar escondido atrás do balcão. Ele precisa ir para a rua à procura de outros negócios. As pessoas vão ser atraídas a sair de casa pelas atividades. E, quanto mais gente estiver nas ruas, mais elas vão consumir. A ação envolve supermercados, loja de roupa, sapataria, farmácia, restaurante e até açougue. Vamos dar uma sacudida na cidade”, explica Essiomar Gomes, presidente do Sicomércio.

Será a terceira ação do calendário de eventos da Costa Verde, idealizado a partir das discussões entre comerciantes locais na etapa de Angra do Mapa do Comércio. A primeira ação ocorreu no fim de maio, com o Gastronomia do Mar, em Mangaratiba, que recebeu cerca de 10 mil pessoas, movimentando cerca de R$ 2,8 milhões, segundo os organizadores. O evento teve oficinas de culinária de chefs do Senac RJ, concurso de gastronomia entre restaurantes locais e shows.

A tradicional Festa Internacional do Teatro de Angra (Fita), realizada entre os dias 3 e 19 de junho, entrou também entrou no calendário neste ano, contando com a organização do Sesc RJ. O evento contou com a apresentação de 52 peças, gerando 1,6 mil empregos diretos e indiretos. O calendário ainda terá etapa do Gastronomia do Mar em Angra e o Costa Verde Negócios, em outubro.

‘É preciso buscar soluções criativas’, analisa Penna

O ‘Angra Mais por Menos’ não servirá apenas como uma oportunidade para aumentar as vendas. A palestra do especialista em vendas e palestrante motivacional Erik Penna aos comerciantes locais, marcada para o dia 4 de julho, também trará uma chance de aperfeiçoamento dos serviços oferecidos pelo comércio local.

“Quando há vacas gordas, a tendência é de acomodação. Nos períodos mais difíceis, os comerciantes precisam buscar novas soluções com criatividade”, explica Penna.

Na palestra, ele também irá estimular a busca por parcerias entre empresários de setores diferentes. “A ideia é procurar parceiros que buscam o mesmo cliente, mas vendem produtos diferentes. Uma empresa de salgados pode ser parceira de outra que vende bolos. Quando uma indica a outra, dobram as possibilidades de negócio”.

Penna também falará sobre a importância do pós-venda, do relato de um cliente como propaganda e do uso das redes sociais. “Há posts patrocinados, de forma segmentada e com baixo investimento em redes sociais. Também vou falar sobre a importância do treinamento como um ato em desenvolvimento”, antecipa.

Últimas de Rio De Janeiro