Tubarão fica encalhado e é resgatado na Praia de São Conrado

Animal de pequeno porte estava vivo e foi colocado novamente no mar por banhistas. Bombeiros não foram acionados

Por O Dia

Rio - Um excelente nadador, podendo chegar aos 88 quilômetros por hora, com até 4,3 metros de comprimento e 580 quilos. As características descritas pela Fiocruz sobre a espécie de tubarão que apareceu encalhado em São Conrado, na noite de segunda-feira, dão conta de um animal ameaçador. Para os frequentadores da praia, porém, um motivo maior de preocupação sai dos emissários que despejam esgoto diariamente no local.

A aparição do animal mudou a rotina do plantão noturno de dois operários que trabalhavam perto da orla. Eles conseguiram devolver o tubarão ao mar. No entanto, três banhistas encontraram o peixe morto na manhã desta terça-feira. Identificado como da espécie mako, o animal foi apontado entre as 10 espécies de tubarões mais perigosos pelo canal americano Discovery Channel.

Tubarão estava encalhado na areia%2C próximo da água%2C na Praia de São ConradoCarlos Eduardo / Facebook Rocinha em Foco

Estas referências não devem assustar os banhistas que costumam frequentar o local. De acordo com o biólogo Marcelo Szpilman, diretor-presidente do AquaRio, a cidade teve apenas oito ataques de tubarão em 200 anos. “O risco é desprezível, os tubarões têm medo do homem. A exceção são áreas de recife, mas não é o caso daqui”, afirmou. “O mako vive em mar aberto, e provavelmente já chegou sem vida à costa. Sem dúvidas o esgoto é muito mais perigoso.”

Em São Conrado, as línguas negras mancham o tom do mar desde a base da rocha no canto esquerdo da praia. “O despejo de esgoto é diário, as estações de elevatória não funcionam. Um tubarão moribundo é a menor ameaça perto do lixo que vem até sólido”, disse Marcelo Farias, da ONG Salvemos São Conrado.

No Facebook, a página Salvemos São Conrado monitora as condições da água na praia. Na semana passada, foram divulgadas imagens de uma grande quantidade de garrafas pet sendo levadas do costão para o mar. “Nós, surfistas, já criamos até anticorpos, aparece de tudo. Tubarão é a primeira vez que eu vejo, nem ele deve ter aguentado o lixo”, contou Thiago Almeida, de 26 anos, morador do bairro.

De acordo com o boletim anual do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), que avalia a quantidade de bactérias na água, São Conrado recebe a pior classificação (sinalizada como péssima) desde 2008. Somente praias da Baía de Guanabara, como Flamengo e Botafogo, apresentam condições parecidas.

Aquário do Rio será referência

?Em julho do ano passado, um tubarão-mangona, com 1,60 metro e 60 quilos, foi capturado no mar, na altura do Recreio dos Bandeirantes. A foto do animal gerou repercussão imediata nas redes sociais.
Segundo o biólogo marinho Marcelo Szpilman, a espécie é uma das várias que serão exibidas no Aquário Marinho do Rio (AquaRio), ainda sem data de inauguração.

“Quando o aquário estiver em funcionamento, a cidade terá um centro de referência e profissionais capacitados para lidar com animais deste tipo.”

Últimas de Rio De Janeiro