Engavetamento na Ponte Rio-Niterói dá nó em trânsito de Niterói e São Gonçalo

Colisão entre dois ônibus e dois carros deixou três feridos e criou transtornos na travessia para o Rio pela manhã

Por O Dia

Rio - Um engavetamento na pista sentido Rio da Ponte Rio-Niterói parou completamente o trânsito, às 6h desta segunda-feira, nas cidades de Niterói e São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio. Dois ônibus e dois carros colidiram, na altura da Ilha de Mocanguê, interditando três faixas da via, de acordo com a Ecoponte. Três pessoas ficaram feridas, sendo duas em estado moderado e uma em estado leve. Elas foram levadas para o Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca, em Niterói.

Engavetamento na Ponte Rio-Niterói dá nó em trânsito de Niterói e São GonçaloReprodução / TV Globo

Devido ao acidente, o tempo de travessia para a capital fluminense chegou a 70 minutos, segundo a concessionária responsável pela Ponte. Motoristas encontravam retenção ao longo da via e também em outras ruas do município de Niterói.

No Twitter%2C internauta reclama%3A 'Péssimas condições na Niterói-Manilha'Seguidor %40RjWagninho

Os reflexos chegaram em São Gonçalo. Por volta das 7h, os veículos envolvidos no engavetamento já tinham sido retirados da pista, no entanto, de acordo com a Autopista Fluminense, responsável pela BR-101, às 9h10, quase duas horas depois, ainda havia 14 quilômetros de retenção no trecho da Avenida do Contorno, que liga os municípios de Niterói e São Gonçalo.

Em virtude do trânsito em Niterói, a CCR Barcas disse que a busca pelo transporte aquaviário foi grande na linha Praça Arariboia-Praça XV. Contudo, apesar da grande movimentação de passageiros, não houve filas de acesso à estação. A operação seguiu normal nas barcas.

O acidente causou transtornos para milhares de pessoas. Um grupo de funcionários da Fiocruz ficou parado na loja de conveniência de um posto de combustível na Avenida Roberto Silveira, em Icaraí, onde esperou a chegada de um ônibus, que os levaria para o trabalho. Entre eles, estava o pequeno Luiz Eduardo Garcia, de apenas 4 anos, filho da farmaceutica Thaysa Garcia, que estuda na creche da instituição. "Vamos chegar no trabalho com quase três horas de atraso. Meu filho está perdendo aula", reclamou.

Os postos de combustíveis da Roberto Silveira ficaram cheios na manhã desta segunda-feira. Foram neles que muitas pessoas esperaram o trânsito melhorar. O engenheiro Paulo Borges passou horas em pé esperando o ônibus em um posto. "Vamos para Xerém, em Caxias. Devemos chegar com mais de duas horas de atraso", reclamou o homem, que estava acompanhado de uma colega de trabalho, a pedagoda Sueli lopes.

Márcia e Cristina%2C funcionárias de uma loja de conveniência de um posto na Avenida Roberto SilveiraMaria Inez Magalhães / Agência O Dia

Quem também sofreu com o trânsito em Niterói foram os funcionários das lojas de conveniência dos postos de combustíveis. A caixa Márcia Michele Pereira da Silva, por exemplo, passou a madrugada trabalhando, mas teve que esperar por mais de duas horas até que a amiga conseguisse chegar para lhe render. "Era para eu ter saído às 7h mas nem sei que horas vou deixar o trabalho. Passei a noite inteira aqui. Estou cansada e com sono. Já era para estar indo embora", lamentou.

Thayza com o filho e um grupo de amigos. Eles tiveram que esperar muito tempo até que um ônibus aparecesse para os levar até a FiocruzMaria Inez Magalhães / Agência O Dia


Com informações de Tiago Fraderico

Últimas de Rio De Janeiro