Dez dias após obras, novo Elevado do Joá tem buracos

Legado olímpico custou R$ 458 milhões à Prefeitura do Rio

Por O Dia

Rio - Mais uma obra do legado olímpico já apresentou problemas. Inaugurado em 28 de maio, o novo Elevado do Joá, que liga São Conrado à Barra da Tijuca e foi construído pela Odebrecht ao custo de R$ 458 milhões, já estava com buracos no asfalto nesta terça-feira, 10 dias após a abertura. Os danos na pista foram observados na entrada do primeiro túnel, no segundo túnel e entre as duas galerias. Devido às depressões no chão, os motoristas eram obrigados a desviar o caminho.

Outra obra olímpica, bem perto dali e também considerada um legado dos Jogos, foi a Ciclovia Tim Maia, na Avenida Niemeyer, que desabou em 21 de abril, matando duas pessoas. As pistas dos BRTs Transcarioca e Transoeste, também obras da prefeitura e consideradas legados da Copa do mundo, apresentaram buracos na pista com pouco tempo de uso.

A Secretaria Municipal de Obras afirmou que considera inadmissíveis as falhas verificadas e que exigiu da construtora uma investigação das causas a partir de ensaios técnicos com amostras do pavimento danificado.

Segundo o órgão, os reparos foram executados em três pontos com irregularidades, pela construtora, sem ônus adicionais aos cofres do município. “O reparo foi feito pela construtora Odebrecht em caráter provisório devido ao mau tempo, e a recuperação definitiva será realizada após o término das chuvas em período noturno, sem necessidade de interdição da via”, explicou a secretaria em nota.

A Odebrecht informou, também em nota, que os ocorridos no asfalto são pontuais. Segundo a construtora, o contratempo foi decorrente de comprometimento da base do pavimento no local e todo o material aplicado no Novo Joá foi aprovado após controle de qualidade e tecnológico.

Últimas de Rio De Janeiro