Furto de cabos afeta 100 mil passageiros

SuperVia estima prejuízo de R$ 28 milhões

Por O Dia

Rio - Novo furto de cabos de energia no início da manhã de ontem, na altura da Mangueira, entre as estações do Maracanã e São Cristóvão, afetou mais de 100 mil passageiros de trens da SuperVia. Atrasos foram inevitáveis entre 7h e 10h30. Foi a 385ª ocorrência desse tipo de crime registrado pela empresa na polícia neste ano, média de três a cada dois dias.

Desde 2013 o DIA vem mostrando que a maior parte dos furtos é praticada por viciados em crack, segundo investigações da polícia. Metais como cobre, alumínio e bronze, extraídos dos cabos — que têm a parte de plástico que os envolve queimada em fogueiras improvisadas — são vistos como ouro e vendidos para os mais de 300 ferros-velhos clandestinos do estado. O preço varia de R$ 25 a R$ 60 o quilo. Porém, são vendidos por valores irrisórios pelos usuários de droga.

De 2011 a maio de 2015, a concessionária gastou R$ 28,3 milhões em recuperação de patrimônio após atos de vandalismo. O valor, conforme a SuperVia, daria para comprar dois trens de quatro carros com ar-condicionado, capazes de transportar juntos até 2.400 passageiros. A ausência de cabos do sistema de sinalização pode provocar atrasos e até a interrupção temporária do tráfego ou acidentes graves.

Últimas de Rio De Janeiro