Jogos da Baixada se despedem

Campeões da competição, atletas de Nova Iguaçu vão conhecer a Usina Hidrelétrica de Funil, de Furnas

Por O Dia

Os atletas de Nova Iguaçu foram os grandes campeões da 19ª edição dos Jogos da Baixada e têm muitos motivos para comemorar. Patrocinadora do evento, Furnas vai levar toda a delegação para visitar a Usina Hidrelétrica de Funil, localizada em Resende. Os estudantes poderão conhecer as instalações e entender o caminho que a energia faz das usinas até as casas das pessoas. Isso sem contar que, durante toda a competição, os atletas amadores puderam interagir com profissionais que integram a Equipe Furnas e estiveram presente para fazer a entrega de medalhas e se relacionar com os jovens da Baixada. E, nas duas últimas etapas, teve até uma equipe de massoterapeutas à disposição dos jovens do futsal e basquete.

Na rodada de abertura, em Mesquita, os alunos puderam socializar com três atletas profissionais: Maria Bruno, do nado sincronizado, Cátia Portilho, do levantamento de peso, e o arremessador de peso paralímpico Wallace Antonio, que estará nas Paralimpíadas do Rio, em setembro. Na segunda rodada, no Sesc de Nova Iguaçu, foi a vez da campeã mundial de remo, Fabiana Beltrame, interagir com os atletas da Baixada. 

Pedro Matos, do kitesurf, esteve na terceira rodada, na vila olímpica de Duque de Caxias. Na etapa seguinte, no Sesc de São João de Meriti, compareceram o surfista paralímpico Davizinho e a triatleta Fernanda Keller. A surfista Chloé Calmon foi a Magé. E o ciclista paralímpico encerrou a participação dos atletas de Furnas no evento na última rodada, em Queimados. 

“Os Jogos da Baixada reúnem esporte e educação, elementos poderosos de transformação social, os quais Furnas sempre buscou estimular nas iniciativas que promove pelo Brasil. A empresa acredita que o resultado desta união proporciona a energia positiva necessária para provocar mudanças efetivas na sociedade”, afirmou Leandro Rosa, gerente de comunicação de Furnas.

A 19ª edição dos Jogos também teve outras atrações. Como a presença do professor Antônio Jorge Soares, que coordena o programa Segundo Tempo, do Ministério do Esporte. Ele ministrou palestra sobre esporte educacional para profissionais de Educação Física na última rodada do torneio, semana passada, em Queimados. Na última segunda-feira, ele lançou o livro ‘Educação do Corpo e Escolarização de Atletas’.

A triatleta Fernanda Keller esteve presente na quarta rodada dos Jogos%2C no Sesc de São João de MeritiAlexandre Brum


Liomar Monteiro Sales, assessor da Secretaria Nacional de Educação, Esporte, Lazer e Inclusão Social do Ministério do Esporte, também foi ao local para falar sobre a possibilidade de apoio na próxima edição do evento, quando os Jogos da Baixada completam 20 anos de existência. “A ideia é construir as bases para fortalecer o apoio do Ministério do Esporte na 20ª edição dos Jogos”, antecipou.

A edição de 2016 foi a primeira com a participação de atletas paralímpicos, que atuaram no atletismo e no tênis de mesa na rodada de abertura, na vila olímpica de Mesquita.


Atração norte-americana

No encerramento dos Jogos, no último domingo, Queimados sediou um desafio internacional. Universitários norte-americanos atuaram contra ex-atletas dos Jogos da Baixada em amistosos de basquete nas categorias masculino e feminino, após o término da competição.

Os amistosos fazem parte do calendário de uma caravana que vem ao Brasil há sete anos, em uma iniciativa idealizada por Ron Smith, um professor de basquete aposentado. A delegação é formada por universitários ligados à NCAA, entidade que organiza jogos universitários nos Estados Unidos. “O interessante é o intercâmbio, porque é possível ter uma ideia do que é o basquete no Brasil”, avalia Ron, que também comandou amistosos contra Botafogo e Mangueira.

Ron acompanhou de perto os confrontos de basquete nos Jogos. E teve boa impressão: “São garotos que amam o basquete e que mostraram muito entusiasmo pelo jogo”, analisa.

Últimas de Rio De Janeiro