Por caio.belandi

Nova Iguaçu - O centro comercial de Nova Iguaçu, principal opção para o morador da Baixada Fluminense que não quer ir ao Rio para comprar presentes de Natal, não está vivendo seus melhores dias. Sem a habitual expectativa positiva de vendas, o comércio da cidade deve faturar de 7 a 10 % a menos que no ano passado, segundo a Associação Comercial de Nova Iguaçu.

Este é o segundo ano consecutivo de queda nas vendas. Em 2015, as vendas ficaram 2% abaixo do ano anterior. A baixa é a maior perda registrada nos últimos 40 anos. “Estamos assustados com a queda, mas isto é reflexo da crise financeira que o país está enfrentando. O consumidor está com mais precaução para gastar e está poupando mais, outros estão endividados e vão deixar de comprar presentes”, explica o presidente da Associação Comercial de Nova Iguaçu, Renato Jardim.

Sem grana para gastar, o consumidor deve optar por pequenos presentes. Artigos como calçados, roupas e brinquedos mais baratos serão os mais escolhidos. “Estes itens menores e mais em conta devem sair bastantes, principalmente para quem quer presentear a família e os amigos sem comprometer muito o orçamento”, diz Jardim.

É o caso De Vivianne das Neves, 33, que trabalha em uma empresa de limpeza. “Muita gente foi demitida no trabalho, as coisas não estão muito boas por lá, não posso gastar muito. Mas também não poderia deixar de comprar uma lembrancinha para quem eu amo. Lá em casa resolvemos fazer amigo oculto de chinelo, que é bem baratinho. O restante da família vai ganhar uma caneca. É simbólico, mas é que deu para fazer nestas circunstâncias”.

Na casa da família Vittorino, nem a árvore de Natal ganhou novos enfeites, tudo para economizar. “Este ano seguramos os gastos e não renovei os enfeites da árvore. Apenas comprei um novo pisca pisca porque estava quebrado”, conta Analice Vittorino.
Apesar de o índice de vendas terem diminuído, o Calçadão de Nova Iguaçu continua sendo referência na região. De acordo com Renato Jardim, cerca de 20% das pessoas que compram nas lojas do Centro são de outras cidades como Belford Roxo, Japeri, Mesquita, Queimados e Nilópolis.

A segurança, segundo Jardim, não deve ser problema. “O consumidor não precisa se preocupar, já que vamos ter cabines da PM e patrulhamento ostensivo pelo Calçadão”. 

Na semana do Natal as lojas funcionarão em horário especial, das 9h às 21h.

Você pode gostar