Baixada já teve 24 ônibus queimados

A cada ataque sofrido, 70 mil passageiros deixam de ser potencialmente transportados pelos veículos

Por O Dia

Nova Iguaçu - No dia 6, um ônibus foi incendiado, em Magé, em uma manifestação contra o aumento da tarifa dos pedágios da Rio-Teresópolis. A ação aconteceu perto do pedágio. A situação não é um caso isolado. O Estado do Rio teve 41 ônibus incendiados em 2016 e nos últimos 12 meses 43 veículos saíram de circulação, segundo levantamento da Fetranspor (Federação das Empresas de Transporte). Dentre eles, 24 casos foram na Baixada Fluminense somente este ano.

Segundo a PM, a maioria dos casos de incêndio são por represálias orquestrada por traficantes. Um susto e tanto para quem presenciou um desses ataques. “Estava voltando do trabalho estava bem perto de casa já, quando bandidos invadiram o ônibus, nos assaltaram e mandaram a gente descer. Depois colocaram fogo”, relembra Vania Santos, que em outubro foi vítima de criminosos, na Estrada de Adrianópolis, em Monte Castelo, Nova Iguaçu.

Ônibus queimado durante protestoAlexandre Bum / Agência O Dia

A reposição da frota destruída está estimada em mais de R$ 20 milhões. Para repor um veículo incendiado é preciso até seis meses entre encomenda, montagem, entrega e licenciamento. Durante esse período, 70 mil passageiros cada ônibus urbano deixam potencialmente de ser transportados. Sendo assim, somente este ano, quase dois milhões de passageiros foram prejudicados na Baixada.

EMPRESAS E LINHAS AFETADAS

Dentre as empresas que já tiveram ônibus destruídos estão: Auto Ônibus Vera Cruz,Mirante, Viação Tinguá, Reginas, Viação Beira Mar, Fabio's, Flores e Vera Cruz.

As linhas mais prejudicadas foram: Duque de Caxias x Queimados; Centenário x Hospital Infantil; Nova Iguaçu x Miguel Couto; Vila de Cava x Central; Vila São Luís x Central; São João de Meriti x Caxias; São João x Duque de Caxias (via Vilar dos Teles); Magé x Barra Tijuca.

Últimas de Rio De Janeiro