Em Itaguaí, crise atinge também a Educação

Servidores estão sem pagamento de dezembro e do décimo terceiro

Por O Dia

Itaguaí - A Educação de Itaguaí vive um momento de crise. Os servidores entraram em greve no dia 13 de fevereiro por falta de pagamento de dezembro e do 13º salário, além de reclamarem das condições da escolas e da redução de professores nos berçários das creches municipais.

Além dos atrasos, de acordo com os profissionais, a Secretaria de Educação e Cultura teria anunciado que as turmas de berçários teriam apenas um professor para cada três classes. “Isso é absurdo, um prejuízo para o desenvolvimento das crianças. Não tem como dar atenção para três turmas ao mesmo tempo”, diz uma professora de uma das 16 creches do município.

Segundo o Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe) faltam carteiras, livros, material de limpeza e pedagógicos, segurança e funcionários de apoio. “Estamos tentando o diálogo, mas até agora nada”, disse Dulce Figueira, do Sepe.

A Prefeitura afirmou que as escolas estão funcionando e que poucos profissionais faltaram em algumas escolas. E informou que o 13º será pago em duas parcelas: a primeira dia 20 abril e a segunda em 21 de junho.

Últimas de Rio De Janeiro