Coleção raríssima na garagem

Morador de Nova Iguaçu é dono do único modelo Borgward Isabella Combi rodando

Por O Dia

Nova Iguaçu - Isabella é a raridade que todo colecionador de veículos antigos sonha em ter em sua garagem. Mas no Brasil, o único Borgward Isabella Combi 1958 rodando pertence ao iguaçuano Sandro Zgur, de 46 anos. Raro até na Alemanha, país de origem, devido ao seu curto período de fabricação (1954 a 1962), é a singularidade do modelo Combi (perua) que desperta a curiosidade de quem olha.

O raríssimo Borgward Isabella Combi que roda em Nova IguaçuRenato Ferreira/Divulgação

"A marca até teve revenda própria, mas o modelo Combi não veio oficialmente para nosso país. Com o fechamento da fábrica, os remanescentes logo ficaram sem peças de reposição. E agora, temos apenas três desse modelo no Brasil: um virou sucata, o outro foi descaracterizado, e o meu", conta o colecionador.

O encontro de Sandro com Isabella foi há alguns anos. Um amigo viu um carro diferente, que lhe chamou a atenção, empoeirado em uma garagem. Ele não tinha ideia de que carro era, mas sabia que se tratava de uma caminhonete. Como sabia da paixão de Sandro por carros, comentou o fato com ele. Mas, Sandro havia acabado de terminar a restauração da Miura Targa, um outro carro de sua coleção, e não estava animado em entrar em outra empreitada dessa. Mesmo assim, a curiosidade falou mais alto e ele acabou indo conferir de que carro se tratava. Quando Sandro olhou mal acreditava no que viu. A traseira entregava que era nada menos que um Borgward Isabella, na raríssima versão Combi.

"O coração bateu forte e ficou difícil de não se apaixonar. Quis o carro imediatamente, mas pra minha falta de sorte os donos não quiseram vender pois tinha um valor emocional para a família. Na época não teve negociação. Depois de mais de um ano eu voltei lá e o carro estava se acabando na garagem. Tentei mais uma vez e consegui que me vendessem, já que prometi cuidar bem dele".

Depois disso o Borgward foi restaurado e suas características originais foram mantidas. Inclusive a placa, que é da época em que o Rio de Janeiro era o Estado da Guanabara. "Todos ficam surpresos com o estado de novo do carro, mas pouquíssimos conhecem a marca. O Isabella era carro de trabalho, por isso não sobraram muitos exemplares", explicou.

Sandro começou a colecionar carros desde pequeno. Atualmente, ele tem um Miura Top Sport I.E. 91, o Isabella 58 e Miura Targa 86, já licenciado como peça de colecionador. "Minha paixão veio na infância, com os de carrinhos de ferro. Evoluiu para miniaturas e então carros reais. Estes carros antigos são de um tempo onde as coisas eram mais simples e feitas para durar".

Últimas de Rio De Janeiro