Banho de mar está mais acessível em Macaé

Projeto Praia para Todos garante o acesso de cadeirantes e pessoas com limitações físicas à Praia de Cavaleiros

Por O Dia

Rio - Quem foi que disse que cadeirantes ou pessoas com dificuldades de locomoção não podem frequentar a praia? Em algumas cidades do Estado do Rio é possível, sim, tomar um refrescante banho de mar e afugentar um pouco as altas temperaturas do verão. Macaé, no Norte Fluminense, é um bom exemplo. Lá, o projeto Praia para Todos tem garantido a acessibilidade.

Em sua terceira edição, o programa vai até abril e acontece todos os domingos, sempre de 8h às 14h, no Posto 1 da Praia dos Cavaleiros. Fruto de uma parceria entre a Secretaria de Defesa Civil de Macaé e o Centro Independente de Vida (CVI), o Praia Para Todos conta com um total de seis funcionários fixos, além de voluntários. Para garantir o acesso à água, esteiras são montadas na areia e uma cadeira anfíbio com três rodas flutuantes é utilizada para o banho de mar.

Os cadeirantes menores de idade precisam estar devidamente acompanhados dos responsáveis Divulgação

De acordo com o coordenador do Praia Para Todos, Douglas Werner, o principal objetivo do projeto é a inclusão social e tornar o banho de mar mais acessível a todos, trazendo de volta aquelas pessoas que há muito não frequentavam a praia. Ele apenas recomenda que os interessados em participar do programa devem chegar cedo para poderem aproveitar a praia por mais tempo.

“Muitas pessoas que não vinham à praia há mais de dez anos, agora estão podendo tomar seu banho de mar. Outros também vêm para ver e conversar. O projeto também tem esse lado de inclusão social, da socialização dos cadeirantes, que têm um local para ir aos domingos pela manhã e o início da tarde”, destaca Douglas Werner.

Quem ‘bate-ponto’ todos os domingos na Praia de Cavaleiros, aliás, é Fábio Alves, de 42 anos. Carioca, ele mora há seis anos em Macaé e conta que ir à praia já virou um compromisso dominical. Morador do bairro Lagomar, ele não se incomoda nem um pouco de pegar ônibus para poder tomar um banho de mar e desfrutar de horas de lazer e diversão.

“Só deixei de vir duas vezes. Desde a segunda edição do projeto que venho realizar esse sonho. Aqui fiz amizades e me tornei um voluntário”, lembra Fábio Alves, que também é atleta do time de basquete sobre rodas da cidade de Macaé.

De acordo com a Secretaria de Defesa Civil do município, cadeirantes e qualquer pessoa com limitações físicas podem participar do Praia Para Todos. Não existe também nenhum tipo de taxa e não é preciso fazer inscrição. Basta apenas se à Praia dos Cavaleiros. Segundo o órgão, os menores de idade, no entanto, só podem frequentar o projeto se estiverem devidamente acompanhados por um responsável.

Últimas de Rio De Janeiro