Inscrições para Oficina da Música Universal, em Vassouras, acabam nesta segunda

Projeto faz parte de intercâmbio com Programa de Integração pela Música

Por O Dia

Rio - Terminam nesta segunda-feira as inscrições para a Oficina da Música Universal, um intercâmbio entre Itiberê Zwarg - mestre de uma nova geração de músicos brasileiros, pupilo do multi-instrumentista Hermeto Pascoal -, e a Orquestra PIM (Programa de Integração pela Música), de Vassouras, no Sul Fluminense.

As inscrições serão direcionadas primeiramente aos músicos que já integram a orquestra. A faixa etária para participar é a partir dos 14 anos. No dia 26 de março, domingo, o projeto faz seu encerramento, com concerto gratuito de Itiberê Zwarg e grupo, às 17 horas, no pátio da Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição, no Centro de Vassouras

Ibiberê Zwarg faz parte da nova geração de músicos brasileirosarquivo pessoal

As Inscrições e mais informações podem ser feitas pelo email maestroclaudio.pim@hotmail.com ou pelo telefone 24-24719320.

O projeto recebeu recursos do Governo do Estado do Rio de Janeiro e da empresa Light, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura e faz parte do Programa Territórios Culturais RJ / Favela Criativa, realizado pela Secretaria de Estado de Cultura, em parceria com a Light e com o Programa de Eficiência Energética da Agência Nacional de Energia Elétrica.

Nascido na capital paulista em 1950, Itiberê foi introduzido na música pelo pai, Antônio Bruno Zwarg, compositor e músico. No final dos anos 60 até início dos 70, participou de três trios e, em 1977, começou um novo e grande ciclo de música. Com Hermeto, gravou nove discos. Em 1999. criou a "e Itiberê Orquestra Família.

Nos últimos 10 anos, divide-se entre sua parceria com Hermeto Pascoal, e seus trabalhos de formação de novos músicos e autoral com o Itiberê Zwarg e Grupo. A Oficina da Música Universal é uma marca registrada de Itiberê Zwarg, que conta com uma metodologia especial e chancelada por uma legião de músicos, que hoje desponta no mundo da música.

Utiliza um processo didático onde a composição da obra é realizada no decorrer da oficina, passo a passo na presença dos músicos, que, desta forma, participam de todo o processo criativo.

"Conforme vou compondo, em um instrumento qualquer, a música vai sendo executada quase que simultaneamente à criação", explica Itiberê. O método utilizado por ele possibilita a participação de músicos com diferentes níveis técnicos.

"Para quem pode mais, eu escrevo sem restrições. Para quem ainda está começando, escrevo em um nível compatível. Com isso, é possível trabalhar com grupos heterogêneos. Procuro estimular também práticas de colaboração entre os músicos mais ou menos experientes, deixando individualidades sobressaírem naturalmente na medida de suas habilidades", diz ele. Além de Itiberê, ministram a oficina os músicos Ajurinã Zwarg e Mariana Zwarg,integrantes do grupo.

Últimas de Rio De Janeiro