Esporte de origem holandesa chega a Macaé

Corfebol, inspirado no sueco Ringball, ganha adeptos no Norte Fluminense

Por O Dia

Rio - Corfebol. Nunca ouviu falar? Pois, bem. É um esporte que começa a fazer sucesso aqui no Brasil. Nascida na Holanda, a modalidade já é praticada em algumas cidades do interior do Estado do Rio, como Casimiro de Abreu e Macaé. Na última, por sinal, é crescente o número de adeptos, que podem até aprender tal prática esportiva na escola.

Em Português%2C a palavra holandesa ‘korfbal’ significa bola ao cesto Divulgação

A Prefeitura de Macaé passa a oferecer aulas gratuitas de corfebol para os alunos das escolas municipais e outros jovens da cidade. Atualmente, as aulas acontecem no Polo Fronteira e também no Colégio Municipal Sana. Para participar é preciso ter mais de 12 anos de idade.

De origem holandesa, o esporte foi criado em 1902 por Nico Broekhuvesen, inspirado no sueco Ringball. A modalidade reúne jogadores de ambos os sexos na mesma equipe. A regra, por sua vez, é bastante simples. Para a marcar pontos é preciso arremessar a bola no cesto — em Holandês, korf —, que fica a 3,5 metros de altura. Cada cesta vale um ponto.

O corfebol é disputado por dois times com oito pessoas por equipe, com cada uma delas formada por quatro jogadores do sexo masculino e outros quatro do sexo feminino. Em quadra, dois atletas ficam no ataque e dois na defesa. A cada duas cestas, eles trocam de posição. Pela regra, a bola não pode ser conduzida, uma vez que, se isso ocorrer, é falta.

Segundo o diretor do Colégio Municipal Sana, Sol Gray Tavares, o incentivo ao corfebol faz parte da atual prática pedagógica. Por reunir os dois sexos na mesma equipe, é fundamental no processo de socialização. “Nos dedicamos para fazer o melhor. Além do corfebol, o colégio se destaca na robótica e outras atividades. Nossos alunos da região serrana estão fazendo bonito”, enaltece.


Últimas de Rio De Janeiro