Alviazul quer voltar à elite do futebol do Rio

Há 25 anos afastado da primeira divisão, o Goytacaz se prepara para obter uma temporada de vitórias na Série B

Por O Dia

Rio - E lá se vão 25 anos longe da elite do futebol do Estado do Rio. Por isso, o Goytacaz Futebol Clube quer fazer de 2017 um ano divisor de águas na sua história centenária. Para tanto, o alviazul do Norte Fluminense projeta uma temporada de vitórias na Série B do Campeonato Estadual — a estreia vai ser dia 13 de maio contra o Friburguense — e, assim, conquistar o tão aguardado direito de voltar à primeira divisão em 2018.

“Temos um grande desafio pela frente, já que precisamos ficar entre os quatro primeiros da Série B para, então, participarmos da seletiva que dará acesso à primeira divisão de 2018. A seletiva, aliás, é um minicampeonato, com seis clubes, e onde só dois conquistam as vagas à elite. Mas vamos para as cabeças e 2017 vai ser o ano do Goytacaz”, garante o presidente Dartagnan Fernandes.

Jogar em casa%2C ao lado da torcida%2C vai ser um dos trunfos do Goytacaz para fazer bonito na segundona e assegurar o direito de disputar a Série A Divulgação

Segundo ele, pelo histórico dos clubes da Série B, os principais adversários serão América, Friburguense e o rival campista Americano. O presidente não descarta também equipes como Serrano, Barra Mansa e Itaboraí. “É um campeonato em que todos procuram montar bons times, pois se movimentam com o mesmo objetivo, que é chegar à elite”, pondera.

Com uma folha de pagamentos mensal entre R$ 100 mil e R$ 120 mil, o Goytacaz aposta em um elenco que reúne jogadores novatos e outros mais experientes. Entre os mais jovens, seis são da base do clube, enquanto o plantel de reforços tem os recém-contratados Gabriel e Evandro, entre outros. “Com idades entre 20 a 32 anos, todos precisam ter capacidade para aguentar a pressão, já que cada jogo da Série B é como uma decisão”, avalia.

Dartagnan Fernandes acredita também na ‘bagagem’ da comissão técnica, comandada pelo experiente Paulo Henrique, que retorna depois de mais de dez anos longe do clube. “Ele é um técnico que tem identificação muito forte com o Goytacaz. Vai fazer um grande trabalho, pois exige muito do elenco”, vislumbra o presidente.

Um clube centenário

Criado em 20 de agosto de 1912, o Goytacaz surgiu depois que remadores do Natação de Regatas Campista não foram autorizados a passear de barco pelo Rio Paraíba do Sul. Inconformados, fundaram o alvianil — nome é homenagem aos índios goytacazes. Em 1914, torna-se o primeiro campeão de Campos. Já em 9 de janeiro de 1938, surge estádio Ary de Oliveira e Souza.

Entre as glórias nacionais, o 30º lugar no Brasileirão de 1978 — eram 74 clubes. Em 1985 é vice-campeão da Taça de Prata, a atual Série B. No ‘hall’ de estrelas, Amaro da Silveira, que atuou, na década de 1920, na Seleção Brasileira. Ele, aliás, era pai do atacante Amarildo. Conhecido como ‘O Possesso’, Amarildo atraiu os holofotes na Copa de Mundo de 1962, no Chile, quando substituiu Pelé, jogando ao lado de Garrincha, Zagallo e companhia. Além deles, o ator Tonico Pereira.

Últimas de Rio De Janeiro