Maricá vai receber Circuito Fluminense de Corrida Rústica

Prova será realizada em maio, em comemoração aos 203 anos da cidade

Por O Dia

Rio - Maricá prepara uma festa com diversas atrações para comemorar os 203 anos de fundação — o aniversário do município será em 26 de maio. Entre as atividades, o Circuito Fluminense de Corrida Rústica e Caminhadas. Realizada pela Federação de Atletismo do Estado do Rio de Janeiro, em parceria com a prefeitura da cidade, a prova está agendada para acontecer no dia 21.

Realizada pela Federação de Atletismo do Estado do Rio%2C em parceria com a prefeitura%2C corrida tem Robson Caetano como garoto-propagandaDivulgação

No total, o percurso completo da corrida vai ter oito quilômetros de extensão. De acordo com a organização da prova, a largada será na Ponte da Barra, enquanto a linha de chegada ficará em frente à Paróquia Nossa Senhora do Amparo, no Centro.
Segundo o prefeito Fabiano Horta, a realização da corrida em Maricá vai servir de incentivo para os atletas amadores e os jovens do município. “Também vamos inserir Maricá no calendário de corridas de rua e maratonas do Brasil, porque nossa cidade tem imensa vocação para o esporte”, garante Horta.

Já a presidente da Federação de Atletismo do Estado do Rio de Janeiro, Luz Marina, acredita que a corrida também vai proporcionar maior visibilidade à cidade, uma vez que são esperados atletas de todo o Brasil, além da participação de estrangeiros. “O município merece essa iniciativa por sua beleza e pela relevância que esse tipo de estímulo traz para a vida e para a saúde da população. Possivelmente, teremos atletas quenianos”, destaca ela.

Para badalar o evento e atrair maior número de atletas participantes, os organizadores e a Prefeitura de Maricá ‘elegeram’ como garoto-propaganda o medalhista olímpico Robson Caetano, referência no atletismo nacional . O ex-velocista, por sinal, demonstra otimismo com a realização da prova como uma das principais atrações de aniversário da cidade.

“Nós temos de pensar no esporte como um vetor de cunho social e cultural. O que o jovem de Maricá sabe sobre o esporte local? Eu acho importante criarmos esses laços, porque, só assim, o esporte se estabelece e culmina com mais jovens procurando a prática esportiva”, ressalta Robson Caetano. 

Últimas de Rio De Janeiro