Prefeituras oferecem gama variada de atividades físicas para terceira idade

Em nome da vitalidade, cada vez mais idosos participam de esportes e atividades intelectuais

Por O Dia

Rio - Tem que correr, tem que suar, tem que malhar, vamos lá.” São os versos iniciais de “Estrelar”, sucesso dos irmãos Paulo Sérgio e Marcos Valle, que, no início da década de 1980, inaugurava a era da malhação e da vida saudável no Brasil. Passados mais de trinta anos, a música se encaixa em harmonia na atual realidade dos idosos brasileiros. Em nome da vitalidade, cada vez mais eles participam de atividades físicas e intelectuais. Não por acaso, as prefeituras oferecem práticas diversas para a terceira idade manter mente e corpo sãos.

Em Resende, por exemplo, o programa Terceira Idade Ativa atende cerca de três mil idosos — são 27 polos na cidade. São oferecidos passeios turísticos, cursos de informática e atividades físicas variadas, entre outras práticas. “Sabemos o quanto essa fase da vida pode ser difícil, tanto em questões de saúde, quanto de autoestima. Com o programa, além de melhorarem a condição física, os idosos passam a se sentir mais valorizados”, ressalta o prefeito Diogo Balieiro Diniz.

Em ambientes fechados ou abertos%2C as atividades físicas são fundamentais para manter a qualidade de vida dos idososDivulgação

Já em Volta Redonda são concorridas as aulas de ioga realizadas três vezes na semana no ginásio do complexo da Ilha São João e na Associação dos Engenheiros — tem a participação de 190 idosos. No Estádio Raulino de Oliveira, por sua vez, fica a Academia de Ginástica Dr. Eljo Candido de Oliveira, que tem como foco a terceira idade — são atendidos mensalmente mais de 400 pessoas.

No estádio também fica a Academia da Vida. Nela são oferecidos cursos de Português, Informática, Alfabetização e Teatro. Há ainda oficinas de Dança e Educação Financeira, entre outras. Agora em março, o local passou a contar com curso de Robótica, onde os idosos podem construir suas próprias engenhocas a partir de materiais reciclados. “O curso nasceu do entusiasmo especial dos alunos de Informática que tinham pouco tempo dentro das próprias aulas para desenvolver esse projeto”, conta a diretora da Academia da Vida, Márcia Campos.

No Norte Fluminense, Campos dos Goytacazes, além das tradicionais atividades físicas, começou a promover, semana passada, passeios turísticos exclusivos para os idosos. Batizado de Ecotur Novos Rumos, o projeto é quinzenal e estreou com um roteiro que percorreu locais como a Colônia de Férias da Terceira Idade, o manguezal de Carapeba e Restinga do Xexé. “O projeto é importante para fazer a divulgação da cultura ambiental para os idosos, apresentando ainda uma nova oportunidade para uma melhor qualidade de vida”, garante o secretário de Desenvolvimento Ambiental, Leonardo Barreto.

A cidade de Cordeiro tem atualmente o Ativa Idade, com aulas de ginástica de baixo impacto, alongamento e outras atividades recreativas. O objetivo é diminuir os efeitos do envelhecimento biológico e psicossocial, além de promover a integração dos idosos. “Aplicaremos técnicas destinadas ao fortalecimento das funções cardiorrespiratórias, da flexibilidade e da força, algo que irá melhorar significativamente a saúde e a qualidade de vida dos praticantes”, explica Felipe Mussi, coordenador do projeto e subsecretário de Esporte e Lazer.

Aulas de dança beneficiam duplamente%2C pois unem momentos de lazer e exercíciosDivulgação

Em Guapimirim, a Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos vai inaugurar, amanhã, o Centro de Convivência Idoso e Juventude, que vai se juntar a outros órgãos destinados à terceira idade. A a cidade já oferece atividades como ginástica, dança de salão, zumba e aulas de artesanato e capoeira — mensalmente há o Baile da Melhor Idade.

“Para muitos idosos, as atividades são as únicas opções de entretenimento. Nossa preocupação é que a depressão e até mesmo o desenvolvimento de outras doenças não sejam agravadas pelo sedentarismo”, destaca Paula Machado, secretária de Assistência Social e Direitos Humanos.

Em Teresópolis, mais de 200 idosos participam dos programas de educação física comandados pela Secretaria de Esportes e Lazer. Entre as aulas, ginástica, alongamento, dança e hidroginástica. Frequentadora assídua do grupo de ginástica para a terceira idade, dona Maria Inácia da Silva, 87 anos, não abre mão da atividade. “Além de ser uma recomendação médica, amo vir para cá. Não perco uma aula, porque sei o bem que me faz, além de ser muito divertido”, destaca a aposentada.

Exercícios internos e ao ar livre

A cidade de Itaperuna reabriu, em fevereiro, o Centro de Convivência do Idoso, espaço que realiza atividades culturais, atendimento psicossocial, médico e odontológico. No local, todas as quartas-feiras, são realizadas exercícios voltados à coordenação motora, prevenção contra quedas, autoestima e dinâmica de grupo. Também são oferecidas leitura de estórias e contos, dança e entretenimento musical.

No distrito de Itacuruçá, em Mangaratiba, as atividades são realizadas três vezes por semana. E sempre na orla da praia, em contato direto com a natureza. Às terças são realizadas palestras e dinâmicas de grupo, enquanto que as quartas e sextas-feiras são destinadas às práticas de caminhadas, alongamentos e exercícios localizados ou aquáticos.

Últimas de Rio De Janeiro