Baderna e sujeira após encontro LGBT são denunciadas em Volta Redonda

Encontro reuniu 7 mil pessoas em área residencial do município do Sul Fluminense

Por O Dia

Rio - Moradores da Vila Santa Cecília, no Centro de Volta Redonda, no Sul Fluminense, localizada numa das áreas mais nobres da cidade, vão denunciar nesta terça-feira ao Ministério Público e às polícias Civil e Militar, destruição e baderna que teriam sido provocados por parte de frequentadores da quinta edição da Parada Orgulho LGBT do município no domingo, com apoio da prefeitura. Ao todo, pelo menos 7.000 pessoas participaram do evento, que começou por volta de 13h e avançou até a noite. Além do som altíssimo, imagens feitas na manhã desta segunda-feira, mostram rastros de destruição e sujeira deixadas na Praça Pandiá Calógeras, onde foi realizado o encontro, e no Jardim dos Inocentes, que fica nas imediações. Até carro com criança pequena dormindo sozinha em seu interior foi flagrado.

Sujeira deixada por participantes de encontro se estendeu por mais de dois quilômetros Whatsapp Jornal O DIA

“Sabemos que a maior parte do público que participou da Parada LGBT é de paz e não participou desses atos de vandalismo. Mas vamos exigir que a prefeitura proíba qualquer evento de grande porte naquela área, que não comporta receber tanta gente”, afirmou o morador X., de 56 anos, que disse ter sido agredido verbalmente, ao tentar pedir para que os organizadores pelo menos reduzissem o volume do som alto, alegando que havia idosos acamados em algumas residências. Segundo ele, nos dias da semana, o Jardim dos Inocentes, cercado por escolas tradicionais, vem sendo tomado por usuários de drogas, conforme registros feitos pelos moradores. O 28º BPM (Volta Redonda) vai intensificar as rondas no região e a prefeitura ficou de rever permissões para grandes eventos em áreas residenciais.

Na convocação pelas redes sociais, a organização da 5ª Parada LGBT postou: “Vamos tomar a praça com muito amor, alegria, militância, cultura, autenticidade, diversão, respeito ao outro e muito brilho”. Depois do encontro, pelas redes sociais os frequentadores comemoraram a quantidade de público. A organização informou aos moradores que vai colaborar com a polícia para tentar identificar “baderneiros que se infiltraram no evento”, que “foi um sucesso” e que teve performances, shows, e atividades voltadas para saúde, cultura, diversão, cidadania e direitos.

CRIANÇA SOB SOL EM CARRO CHOCA MORADORES

De acordo com moradores, uma das cenas mais chocantes, além de adolescentes consumindo bebidas alcoólicas, por exemplo, foi a de um Ford Royale, placa KMF-3140, que ficou estacionado ao redor da praça por horas, com uma criança pequena dormindo na parte traseira, sob o sol. A presidente do Conselho Comunitário de Segurança, Rosane Pereira, disse que também recebeu as denúncias e que a Força Tarefa criada para combater badernas na cidade vai estar atenta a outros eventos que aglomeram grande número de pessoas.

Criança dormindo sob o sol durante evento chocou moradoresWhatsApp O DIA (98762-8248)

Na semana passada, na mesma região, seis suspeitos de envolvimento com o tráfico, foram detidos e levados para a 93ª DP (Volta Redonda), onde prestaram depoimentos. A Força Tarefa é constituída pelo conselho e integrantes das polícias Civil, Militar e Rodoviária Federal, além da Guarda Municipal, Instituto Estadual do Ambiente (INEA), e entidades de defesa da criança e do adolescente, entre elas a Coordenadoria da Juventude e de Prevenção às Drogas, e Conselho Tutelar.

De acordo com lideranças da Força Tarefa, as equipes vão se concentrar também para colocar fim aos transtornos provocados por badernas e excesso de barulho à noite, em virtude da aglomerações de jovens em vias públicas, repúblicas estudantis, e estabelecimentos comerciais, conforme o DIA vem denunciando desde o ano passado. As repúblicas estudantis de Volta Redonda - boa parte localizada nos bairros Jardim Amália I e II -, que já viraram casos de polícia, por conta de conta de constantes badernas noturnas, são recordistas de chamados pelo 190 por perturbação da ordem pública. A localizada na subida da Rua Almirante Barroso, no Jardim Amália, é recorrente em confusões e atritos com a vizinhança. 


Últimas de Rio De Janeiro