Por douglas.nunes

A explosão de vendas de smartphones no Brasil é uma tendência que ganha números mais expressivos a cada trimestre. Na mesma proporção, esse cenário vem se refletindo na disputa crescente de diversos fabricantes pela preferência dos consumidores. Na categoria premium, que inclui dispositivos acima de R$ 1 mil e na qual a percepção da marca é o grande diferencial, Apple e Samsung ainda polarizam, em grande parte, a atenção dos usuários. Disposta a reforçar sua presença nesse segmento, a sul-coreana LG está trazendo ao país sua mais nova aposta: o G Flex, primeiro smartphone de tela e bateria curvas lançado no mercado brasileiro.

"Entre janeiro de 2013 e janeiro de 2014, tivemos um crescimento de 48% no segmento premium local. Queremos manter esse desempenho no mercado brasileiro e, para isso, estamos investindo em dispositivos que atendem cada vez mais as necessidades dos consumidores", diz Jan Petter, diretor de vendas de celulares da LG no Brasil.

Para Marcel Inhauser, especialista de produtos da LG, um dos diferenciais da tela curva é o fato dela se adaptar ao rosto do usuário e permitir uma melhor experiência de uso em funções básicas, como chamadas de voz, bem como no consumo de vídeos e áudio, entre outros recursos. "Temos observado duas tendências entre os brasileiros. A primeira é a busca por performance e tamanho de tela, com uma experiência de navegação semelhante a de um tablet ou PC", diz Inhauser. "Ao mesmo tempo, já existe uma parcela dos consumidores que não se contenta apenas com o desempenho e também quer mais conforto e satisfação no uso do produto em si".

Com uma tela de seis polegadas Full HD, o G Flex traz ainda recursos como o Knock On, para ativar e desativar o aparelho com dois toques, e o Smart Button, botão na parte traseira que concentra diversas funções, como ajuste de volume e disparo de fotos.

O lançamento do G Flex no país contemplou as 10 lojas próprias da LG, que passaram a oferecer o modelo na última semana. Nesta semana, o aparelho chega às lojas virtuais de parceiros como a B2W, Nova.com, Ponto Fio, Walmart.com e Saraiva. Na próxima semana, os dispositivos estreiam nas lojas físicas de redes como a Fast Shop e Magazine Luiza. Com fabricação local, em Taubaté (SP), o preço sugerido é de R$ 2.699.

Inicialmente, o plano não inclui acordos de comercialização com operadoras. "Como o perfil que escolhemos é quem busca inovação, vamos nos concentrar no investimento em canais digitais e em uma grande presença nos pontos de venda", diz Fábio Faria, gerente de marketing de celular da LG no país.

Os dispositivos com tela curva tiveram seus primeiros protótipos apresentados no início de 2013, durante a Consumer Electronics Show (CES), principal evento do setor de eletrônicos. Em outubro, a LG e sua rival sul-coreana Samsung lançaram os primeiros smartphones com essa tecnologia no mercado. Batizado de Galaxy Round, o modelo da Samsung está disponível, por enquanto, apenas na Coreia do Sul. Procurada, a Samsung não conseguiu atender ao pedido de entrevista.

Para Leonardo Munin, analista de mercado da IDC, mais que um diferencial tecnológico capaz de trazer grandes resultados em curto prazo para a LG no mercado brasileiro, o G Flex carrega uma explicação mais ampla. "A LG está preparando o terreno para o que pode acontecer daqui a dois, três anos", afirma. "Essa questão da tela curva vai muito ao encontro da necessidade que a marca tem de mostrar que não oferece apenas aparelhos de entrada e intermediários, mas que pode fazer também dispositivos premium tão bons e inovadores quanto seus concorrentes".

As telas curvas são apontadas por especialistas como um dos primeiros passos para que a indústria avance em campos como o desenvolvimento de equipamentos com telas totalmente dobráveis e dispositivos da chamada computação de vestir - ou wearable computer. "É nesse estágio que a tecnologia fará mais sentido para os consumidores", diz Munin.

Você pode gostar