BID lança índice de banda larga na América Latina e Brasil fica em terceiro

Plataforma do Banco Interamericano de Desenvolvimento analisa variáveis como infraestrutura e marcos regulatórios em tempo real e pode ser utilizada em projetos de ampliação da cobertura de banda larga

Por O Dia

Washington - O Chile é o país com a maior implantação de banda larga na América Latina, seguido por Barbados e Brasil, de acordo com uma plataforma automatizada de medição lançada nesta quarta-feira pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Segundo a plataforma DigiLAC, que realiza o cruzamento de 37 indicadores, o Chile aparece com um índice combinado de 5,57, enquanto Barbados ocupa a segunda posição, com 5,47, e o Brasil a terceira, com 5,32.

Em geral, os países da América Latina e do Caribe compreendidos na DigiLAC alcançam uma nota média de 4,37 no Índice de Desenvolvimento de Banda Larga. Segundo os números da plataforma, os Estados Unidos aparecem com um índice de 6,65, e os países da OCDE com 6,14.

Antonio García Zeballos, coordenador do projeto no BID, declarou à imprensa que a plataforma analisa em tempo real os resultados de variáveis como infraestrutura e marcos regulatórios, e pode ser utilizada para desenhar projetos de ampliação da cobertura de banda larga.

García Zeballos lembrou que estudos realizados pelo BID indicam que um aumento de 10% no desenvolvimento dos serviços de banda larga pode representar um aumento de até 3,2% no PIB de cada país.

A DigiLAC mostra como, de acordo com números inicialmente coletados em 2012, na América Latina e no Caribe há 100 milhões de lares sem acesso à banda larga, o que representa 500 milhões de pessoas sem conexão desta natureza.

Últimas de _legado_Notícia