Por bruno.dutra

Nova York - O grupo americano Google planeja gastar mais de 1 bilhão de dólares em sua frota de satélites para levar acesso à internet a locais isolados do planeta, informou no domingo o jornal The Wall Street Journal.

O projeto, cujos detalhes ainda precisam ser fechados, começará com 180 pequenos satélites em órbita a altitudes mais baixas que os satélites comuns e pode ser ampliado mais tarde, indicaram fontes ligadas à empresa. Em função da rede mobilizada, o custo oscilará entre 1 bilhão e mais de 3 bilhões de dólares.

O Google já realizou testes no passado para um projeto chamado "Loon", no qual a internet era levada a zonas remotas mediante balões, que serviam como transmissores.

O gigante da internet anunciou em abril a compra, por um valor que não foi divulgado, da Titan Aerospac, fabricante de Drones (aeronaves controladas à distância).

Ela fabricou protótipos que funcionam com energia solar e podem permanecer durante cinco anos a 20 quilômetros de altitude. Além disso, podem cumprir com a maioria das tarefas que até agora ficam a cargo dos satélites geoestacionários, mas são menos onerosos.

"Ainda é cedo, mas os satélites atmosféricos podem ajudar a levar acesso à internet a milhões de pessoas", havia comentado um porta-voz do Google.

Você pode gostar