Bematech investe na diversificação de clientes para driblar a crise

A empresa, que registrou Ebitda de R$ 88,2 milhões em 2014, amplia base de clientes com atuação em setores ligados ao consumo, como varejo, hotelaria e restaurantes, para contornar cenário econômico adverso

Por O Dia

São Paulo - Após fechar 2014 com o melhor resultado anual de sua história, a brasileira Bematech tem pela frente um cenário desafiador para prosseguir em sua trilha de expansão. Conhecida pela oferta de automação comercial para os setores do varejo, de hotelaria e de restaurantes — diretamente ligados ao consumo —, a empresa já escolheu, no entanto, as armas para enfrentar os impactos do contexto econômico nesses segmentos. E a estratégia será justamente reforçar os pilares que sustentaram a trajetória recente de 13 trimestres consecutivos de expansão da receita na companhia: a diversificação da atuação; a incorporação de novas tecnologias ao portfólio de equipamentos, softwares e serviços; e as parcerias para ampliar a capilaridade no mercado.

“Esse será um ano muito difícil, especialmente para o varejo, dada a redução do crédito e da confiança do consumidor. Mas hoje temos diversificação e resiliência para enfrentar a crise. Construímos uma base de 500 mil clientes, de todos os portes, e não temos uma dependência extrema de nenhum setor”, diz Cleber Morais, presidente da Bematech. “Os setores de hotelaria e de restaurantes ainda têm demanda aquecida e mesmo no varejo, que é extremamente segmentado, há boas oportunidades para ampliarmos nossa presença nos clientes e, ao mesmo tempo, conquistar novos contratos”, observa.

Um dos pontos que explicam a confiança da Bematech é o investimento em novas ofertas e tecnologias, especialmente em áreas como soluções fiscais, mobilidade, computação em nuvem e meios de pagamento. Um dos destaques dessa abordagem foi uma parceria para o lançamento, em dezembro, de uma plataforma móvel de automação comercial totalmente integrada à Rede, empresa de pagamentos eletrônicos do Itaú Unibanco. “Com a nuvem e um modelo de pagamento como serviço, com taxas recorrentes, a ideia é facilitar o acesso do pequeno e médio varejista a uma solução de ponta a ponta. Já estamos colhendo os primeiros resultados dessa parceria”.

Com um aporte de R$ 17 milhões em pesquisa e desenvolvimento em 2014, a questão da inovação permeou a atuação da Bematech em todos os segmentos. Para os restaurantes, uma das apostas foi o lançamento de soluções móveis para acelerar processos como pedidos e comandas. A mesma abordagem foi aplicada na oferta de tecnologias para aprimorar o atendimento em hotéis e no setor de transportes, que compõem a base da atuação da companhia em hotelaria.

Nesses dois setores, Morais destaca que a visão mais otimista está diretamente ligada a fatores como a expansão das franquias de restaurantes e de fast food, e das redes de hotéis rumo ao interior do país. Ao mesmo tempo, a proximidade da Olimpíada de 2016, diz ele, já está aquecendo a demanda das empresas desses segmentos por novos projetos de tecnologia. “Em um momento em que a expectativa de crescimento do varejo está em patamares mais baixos, esse cenário nos dá boas perspectivas para sustentar o crescimento das nossas operações para 2015”, explica.

O foco em parcerias com outros elos dessas indústrias é mais um plano que continuará no escopo da Bematech. Entre os exemplos recentes dessa abordagem está o acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF) para indicar a empresa como fornecedora de tecnologia aos seus mais de 1,2 mil associados. No varejo, uma parceria costurada em 2014 envolveu a Samsung, para a oferta conjunta de tecnologias móveis.

Como reflexo dessas estratégias, a Bematech apurou uma receita líquida de R$ 426,5 milhões em 2014, alta de 16,5% sobre 2013. Na mesma base de comparação, o lucro líquido cresceu 25,9%, para R$ 54 milhões, enquanto o lucro antes de juros, depreciação e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) avançou R$ 88,2 milhões, 18,3% superior ao índice reportado um ano antes. As receitas recorrentes — outro indicador importante no modelo da companhia e diretamente ligado ao formato de pagamento como serviço —, alcançaram uma participação de 30% no faturamento total da companhia.

Morais destaca ainda o fato de a Bematech ter encerrado o ano com uma geração de caixa de R$ 117,5 milhões. “Temos musculatura para continuar a investir em aquisições e estamos atentos a boas oportunidades que permitam reforçar o nosso portfólio”, afirma. Em 2014, após um hiato de acordos, a Bematech voltou às compras, com as aquisições da Unum, empresa de software de gestão na nuvem, e da RJ Participações, de vendas online de passagens rodoviárias.

Últimas de _legado_Notícia