Resorts de golfe oferecem ioga e aerobarcos para ganhar geração Y

Espaço para conferências, lojas, restaurantes e spa têm incrementado os resorts para atrair este novo público

Por O Dia

O Woodmont Country Club, da Flórida, que chegou a se vangloriar de ter 1.200 membros, sofreu um golpe duro na última década quando furacões, e depois a recessão, afastaram os jogadores de golfe. Agora o dono do clube está adicionando espaço para conferências, lojas, restaurantes, um spa e um hotel como parte de um plano de renascimento.

Cerca de US$ 100 milhões serão investidos na reformulação da propriedade em Tamarac, cerca de 23 quilômetros a noroeste de Fort Lauderdale, disse o proprietário Mark Schmidt. Após anos de negociações com as autoridades locais ele espera receber aprovação neste mês para as melhorias planejadas no clube Woodmont.

Enquanto as quadras de tênis e piscinas de natação há muito têm seu lugar nos clubes de golfe, um número crescente de proprietários de campos está adotando imóveis de uso misto, um conceito mais frequentemente usado em empreendimentos urbanos como uma espécie de defesa contra riscos e para diversificar os retornos. Os investidores em imóveis estão acrescentando todo tipo de mordomia, de instalações médicas a anfiteatros e operações com aerobarcos, para aumentar a receita.

“Eu não acho que um simples operador de campo de golfe possa ter lucro, a menos que você possua um lugar como Pebble Beach”, disse Schmidt, que comprou o Woodmont por cerca de US$ 3 milhões em 2004 e viu a base de sócios cair para 230. “O custo do seguro, das operações e da manutenção é muito maior. Variar as fontes e remodelar para incluir instalações hoteleiras e outros usos é a única forma de seguir adiante”.

Depois que um plano anterior de reformulação foi rejeitado pelo governo municipal, Schmidt agora está reduzindo o campo de golfe de 36 para 27 buracos. Ele e seus sócios no empreendimento planejam construir 152 residências familiares unitárias, uma nova sede e uma piscina, 14 quadras de tênis, lojas e 465 metros quadrados de salas de reuniões, mais um possível hotel de médio porte operado por uma companhia como a Marriott International Inc. ou a Hilton Worldwide Holdings Inc.

Centro médico

Os donos de campos de golfe, que enfrentam uma queda na receita tradicional com cobrança de tarifas, estão tentando gerar demanda entre usuários mais jovens e atender as famílias, disse Lesley Deutch, vice-presidente sênior da John Burns Real Estate Consulting em Boca Raton, Flórida. Acrescentar comodidades como instalações esportivas e estúdios de ioga cria uma audiência mais ampla, disse ela.

“A recessão provocou uma reflexão sobre a proposta de valor para os donos de campos de golfe”, disse Steven Ekovich, vice-presidente de investimentos da National Golf Resort Properties Group, da Marcus Millichap Inc. “Você tem que oferecer mais coisas por causa das gerações X e Y”.

Cerca de 465 milhões de partidas de golfe foram jogadas no ano passado nos EUA, o que contrasta com o pico mais recente, de 501 milhões em 2006, segundo dados fornecidos pela Marcus Millichap, com sede em Calabasas, Califórnia.

Centro de fitness

Ekovich disse que representa um comprador de um campo de 18 buracos no norte de Atlanta que planeja adicionar um centro médico e unidades residenciais. O cliente também acrescentará uma piscina olímpica e aumentará o centro de fitness da propriedade de quase 160 hectares, que abriga uma reserva natural. O corretor, que disse não poder revelar quem é o comprador por causa de um acordo de confidencialidade, falou que espera que a venda seja concluída dentro de 30 dias.

No Windy Knoll Golf Club, em Springfield, Ohio, o proprietário Nick Tiller e seu primo Pete Duffey, diretor-geral da propriedade, acrescentaram aerobarcos no ano passado para transportar as pessoas pelo campo de golfe e do ponto de partida até perto dos buracos. A ideia foi inspirada em um produto construído pela Oakley Inc. e por Bubba Watson, duas vezes vencedor do Masters de Golfe, que é patrocinado pela companhia.

A dupla de operadores de campo de golfe de primeira viagem comprou a propriedade em liquidação judicial em maio de 2012 por cerca de US$ 1,4 milhão e está investindo US$ 1 milhão em melhorias.

“A época em que se tinha apenas um campo de golfe e uma sede com750 metros quadrados ficou no passado”, disse Schmidt. “Minha equipe trabalhou muito para vender e explicar à comunidade quais os benefícios de nossa extensa remodelação do clube. Agora finalmente sinto que a recuperação está em andamento”.

Últimas de _legado_Notícia