Por marta.valim

Uma pesquisa feita pela empresa Opinium Research como parte da segunda edição da campanha “Dia de levar os pais para o trabalho” , realizada pelo LinkedIn, mostrou que 72% dos profissionais entrevistados no Brasil acreditam que seus pais têm conhecimentos que podem colaborar para suas vidas profissionais. Dentre as habilidades mais citadas estão a capacidade de liderança e negociação dos pais e a organização das mães.

Por outro lado, apenas 47% dos pais pensam ser capazes de contribuir para a vida profissional dos filhos. Para a gerente de comunicação sênior do LinkedIn, Fernanda Brunsizian, os principais motivos para isso são o desconhecimento sobre a vida profissional dos filhos e a sensação de que seus conhecimentos não são mais válidos por causa das transformações que aconteceram no mundo. “Os pais têm potencial para contribuir significativamente na vida profissional de seus filhos, mas esse conhecimento não está sendo passado para a geração mais nova”, diz ela.

A pesquisa aponta, contudo, que 69% dos pais têm consciência que tiveram impacto na carreira dos filhos por meio de apoio financeiro (65% desse total), conselhos profissionais (58%) e moradia (50%). Os filhos, por sua vez, têm demonstrado gratidão. Oitenta e sete por cento dos pais disseram já ter recebido um agradecimento de seus filhos por seus esforços e 50% dizem ouvir um obrigado regularmente.

Mesmo sem conhecer bem o que os filhos fazem, 94% dos pais disseram estar orgulhosos pelas conquistas profissionais de seus filhos.

O levantamento foi realizado por meio de um questionário online com 15.026 adultos em julho deste ano na Austrália, Brasil, Canadá, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Hong Kong, Índia, Inglaterra, Itália, Singapura e Suécia. No Brasil, foram ouvidos 2.002 adultos.

A campanha “Dia de levar os pais ao trabalho”, presente em 16 países, acontece a partir desta quarta-feira e vai até o dia 6 de novembro, quando os funcionários são incentivados a levar os pais para conhecer o local onde trabalham. No Brasil, empresas como a Gol e a AES Eletropaulo já aderiram à campanha.

Você pode gostar