Por monica.lima
Ana Beatriz interpreta o papel da própria autora em "Peça Um Pai (Puzzle)"Marcelo Correa/Divulgação

Há seis anos, durante uma sessão de terapia, a atriz Ana Beatriz Nogueira pinçou da prateleira de livros  de seu analisa uma preciosidade. Entres os vários títulos enfileirados, o livro “Um Pai” (“Un père – puzzle”, no original) — escrito por Sibylle Lacan, filha do famoso psicanalista francês Jacques Lacan — saltou aos olhos da atriz.

O texto, escrito em apenas uma noite, se desenvolve como em um quebra-cabeça que une memórias fragmentadas da relação entre pai e filha. São lembranças, alegres e tristes, de diferentes momentos da vida da escritora.

“Assim que eu li me bateu uma identificação muito forte com os sentimentos dela e com sua forma de contar. Pensei no meu pai e em outras pessoas próximas. Queria dar o livro aos amigos, mas a edição estava esgotada aqui no Brasil. Pensei, então, em ler aos amigos, depois em ler ao público, mas achei demais. Ai me veio a ideia de montar o texto para o teatro. Essa seria a minha forma de ler o livro para as pessoas, pedindo emprestado ao teatro suas ferramentas”, explica a atriz.

Adaptada aos palcos em formato de monólogo pelo cineasta Evaldo Mocarzel, a peça traz Ana Beatriz no papel da própria autora. Com direção de Vera Holtz e Guilherme Leme, “Um Pai (Puzzle)” estreia hoje no Teatro II, no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio.

Lançado na França em 1994 pela editora Gallimard, e depois traduzido em diversos países, incluindo o Brasil, em 1996, o livro só teve direitos concedidos para adaptação após cinco anos de negociação. A resposta positiva foi concedida pela própria Sibylle Lacan em 2013 — ano em que morreu em Paris, aos 73 anos, de overdose de remédios.

“Depois fiquei pensando em como deve ter sido difícil assimilar o pedido. Soube que ela estava doente há anos e que sentia muita dor. Em meio ao turbilhão de sentimentos, ela nos deixou montar, porém sem acrescentar nada, só podíamos cortar e adaptar passagens à imagens teatrais”, explica.

Para transpor o livro ao teatro e atender às exigências da editora, Ana Beatriz montou uma “ação entre amigos”. Para a missão, ela convidou o jornalista e cineasta Evaldo Mocarzel, seu amigo pessoal. Em seguida, Ângela Leite Lopes, tradutora de Nelson Rodrigues na França, se juntou ao trabalho para traduzir a versão teatral do texto para aprovação da editora francesa.

“Quando deu tudo certo, conseguimos a pauta do CCBB para apresentar a peça. Então, Victor Peralta, outro amigo querido, indicou a Vera Holtz para a direção. Ela aceitou o convite e deu a ideia de chamar Guilherme Leme — foi quando ganhei dois diretores. Fiquei muito satisfeita”, conta a atriz, que dividiu a cena com Guilherme Leme na peça “Uma relação pornográfica” em 2014. Com Vera Holtz, o último trabalho que fizeram juntas foi na novela “Saramandaia”, exibida na TV Globo em 2013.

A cantora e compositora Zélia Duncan integrou a equipe para assinar a direção musical e a trilha sonora ao lado de Andrea Zeni. Ana Beatriz e Zélia trabalharam juntas no projeto “Pelo sabor do gesto”, em 2011, quando a atriz assinou a direção do show.

“É impossível não ler o livro e fazer seus próprios puzzles, juntar memórias e pensar em pessoas queridas. Para a peça, eu espero que aconteça com o público o que aconteceu comigo. Imaginei uma plateia construindo seus quebra-cabeças pessoais”, afirma a atriz. Por Mariana Pistasse ([email protected])

ONDE ASSISTIR

"Um Pai (Puzzle)"  fica em cartaz até 03 de maio no CCBB Rio. Rua Primeiro de Março, 66, Centro.

História de Madoff inspira série e filme

Depois dos especuladores corporativos terem sido interpretados no filme “Wall Street”, commodities serem o pano de fundo para “Trading Places”, e os corretores de bolsa estrelarem “The Wolf of Wall Street”, a história de Bernie Madoff, mentor do maior esquema Ponzi dos últimos tempos, ganha fôlego para duas adaptações cinematográficas.

Uma delas será uma minissérie de quatro horas da ABC, estrelada por Richard Dreyfuss, segundo uma fonte da emissora. Meg Ryan, Bette Midler e Susan Sarandon estão na lista da ABC de prováveis intérpretes de Ruth, a esposa de Madoff. A minissérie, ainda sem nome, usará reportagens de Brian Ross, da ABC News, que escreveu “The Madoff Chronicles”, e será transmitida perto do final do ano.

Em paralelo, um filme biográfico estrelado por Robert De Niro ainda está em desenvolvimento na HBO, disseram duas fontes do canal. “Eu não deveria estar dizendo isso agora, mas meio que criei alguns esquemas Ponzi (investimentos fraudulentos)”, disse De Niro, sobre a preparação para o papel de Madoff, em entrevista em 2013. “Tenho minhas próprias teorias sobre ele. Uma coisa básica: é interessante como tudo se trata de confiança”, afirmou o ator, que também produz o longa.

Bernie Madoff foi condenado a 150 anos de prisão em 2009 por provocar prejuízos estimados em US$ 17,5 bilhões. 

‘Cultura Livre SP’ tem início nesse final de semana

A partir desse final de semana, o Cultura Livre SP, projeto que está na ativa desde 2011, volta a ocupar parques e praças com música, dança, teatro e circo. Para dar início à programação no domingo, às 14h, a banda Isca de Polícia, criada em 1979 por Itamar Assunção, se apresenta no parque Villa-Lobos. O show tem a participação especial de Luz Marina e Vânia Bastos.

No mesmo dia, o cantor Thiago Pethit apresenta, a partir das 17h, seu último álbum “Rock’n’Roll Sugar Darling”. O espetáculo conta com a participação Adriano Cintra, ex-integrante da Cansei de Ser Sexy.
As atividades culturais do projeto seguem primavera adentro até domingo dia 26 de abril. A programação conta com Moraes Moreira e o filho Davi Moraes no show em homenagem aos 40 anos do álbum “Acabou Chorare”, Biquini Cavadão no recém-lançado “Me Leve sem Destino”, em comemoração aos 30 anos da banda, Tiê com “Esmeraldas”, O Terno, Luiza Possi com “Sobre Amor e o Tempo”, Fabiana Cozza com “Canto Sagrado”, Blubell com “Diva é a Mãe” e a Banda Maglore. Mais informações no site: culturalivre.sp.gov.br

NOTAS

Cine Daros exibe os melhores filmes de 2014

A partir de quinta-feira, dia 25, começa a 2ª edição do Cine Daros. Com sessões às 19h30, no pátio interno da instituição, filmes que se destacaram em 2014 serão exibidos até 1º de março. Entre os títulos ainda estão dois inéditos: “Campo de Jogo” e “Casa Grande”.

Coral Mário de Andrade abre temporada 2015

O Coral Paulistano Mário de Andrade abre a temporada 2015 na sexta, dia 27, no Salão Nobre do Theatro Municipal. Na ocasião, o grupo interpreta “Réquiem K 626” de Mozart, além de uma peça de Camargo Guarnieri, escrita em homenagem a Mario de Andrade.

Obras de Osmar Dillon no Hélio Oiticica, no Rio

A exposição “Osmar Dillon: não-objetos poéticos” chega ao Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica a partir do próximo 7 de março. Em formato de homenagem, a mostra conta com objetos, desenhos e documentos produzidos entre 1959 e 1972 pelo artista, falecido em 2013.

Você pode gostar