Cinema experimental ganha espaço em mostra no CCBB

Com produções recebidas de várias partes do país, a Mostra do Filme Livre seleciona filmes dos mais variados formatos e categorias

Por O Dia

Realizador%2C professor e crítico de cinema%2C Maurice Capovilla é o homenageado da 14ª edição da Mostrado Filme LivreDivulgação

Impulsionada pela ascensão da produção cinematográfica brasileira no início dos anos 2000, a Mostra do Filme Livre estreou no Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio, como um espaço de exibição de filmes independentes de todos os formatos, gêneros e durações. Quase 14 anos depois, a mostra movimentou 55 mil pessoas e mais de 3 mil filmes entre curtas, médias e longas, se consolidando como a maior e mais abrangente do cinema alternativo brasileiro. Todos os anos, a curadoria formada por Marcelo Ikeda, Chico Serra, Guiwhi Santos, Christian Caselli, Gabriel Sanna e Ricardo Mansur, seleciona filmes dos mais variados formatos e categorias com espírito de tornar público títulos pouco vistos.

Crescendo a cada ano, o festival bateu recorde de inscrições esse ano com 1.460 registros, número 40% maior do que o ano passado. As produções são recebidas de várias partes do país. “Não são filmes feitos para agradar, mas para estimular a reflexão e a dúvida. Mais do que mero entretenimento, temos como objetivo questionar o rumo das coisas, porque a dúvida é o motor da transformação”, afirma Marcelo Ikeda, curador da mostra desde a sua criação e professor do Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal do Ceará (UFC). A oportunidade de conhecer parte da produção independente do cinema nacional entra em cartaz no CCBB do Rio na quarta-feira, dia 11. Em seguida, a mostra desembarca em Brasília, no dia 8 de abril. A capital paulista recebe o festival a partir de 29 de abril. Por fim, a Mostra do Cinema Livre estreia em Belo Horizonte no dia 3 de junho.

A cada ano a Mostra do Filme Livre homenageia um grande nome do nosso cinema experimental. Em 2015, a reverência será ao cineasta Maurice Capovilla, com a exibição de seus longas e debates nas quatro cidades sede. Somente no Rio, nos dias 14, 15 e 16, o cineasta também dará um curso “Luz, câmera, ação - Os três momentos históricos do cinema brasileiro”.

“O espaço de homenagens é importante para lembrar que o cinema alternativo não está começando agora. Capovilla tem uma trajetória reconhecida no cinema nacional e continua ativo, inquieto. Brincamos que ele é muito mais jovem do que muitos cineastas novos, porque ele é muito ousado e provocador”, acrescenta o curador Marcelo Ikeda.

Os filmes selecionados para a mostra foram divididos em sessões diferenciadas, como “Longas Livres”, que traz longa-metragens mais significativos, “Panoramas Livres”, que exibe os curtas e médias que mais instigaram a curadoria, e “Mundo Livre”, com filmes feitos por brasileiros no exterior. Entre os títulos estão produções dos mais diferentes estados, do Paraná ao Rio Grande do Norte.

“Hoje em dia, qualquer um pode fazer um filme com uma câmera de celular. Não se depende mais das fontes de financiamento tradicionais. Dessa forma cada vez mais filmes estão sendo produzidos. Ao longo dos anos, notamos também uma descentralização da produção no eixo Rio - São Paulo”, explica o curador, acrescentando que apenas 49 filmes, 23% dos selecionados, tiveram apoio estatal.

Com intuito de alcançar o maior número de pessoas possível, a Mostra do Filme Livre não se restringe às exibições nos CCBBs, integrando também a programação dos cineclubes. “A democratização do acesso à informação tem um efeito multiplicador incrível. As pessoas têm naturalmente o desejo de criar. Portanto, estimular as formas de pensar e ser é muito importante para a cidadania”, conclui o Ikeda.

ONDE ASSISTIR:
De 11 de março até 5 de abril no CCBB do Rio de Janeiro, que fica na rua Primeiro de Março, 66, Centro. A programação completa está no site: www. mostradofilmelivre.com

Atividades culturais marcam o Dia da Mulher

Nesse domingo, a programação cultural está recheada de atrações em comemoração ao Dia Internacional da Mulher. No Rio, as Mulheres de Chico (foto) se apresentam, às 17h, no Sesc Tijuca para encerrar as atividades dedicadas à data. O evento, que tem início às 9h, com uma aula de Tai Chi Chuan, conta ainda com oficinas, dicas de beleza, orientações em saúde, shiatsu, yoga, maratona de dança de salão e espetáculos teatrais.

Também na capital carioca, a psicanalista Marli Bastos, autora do livro “Frida Kahlo: para além da pintora”, apresenta um pouco da história e da feminilidade da artista mexicana. O encontro acontece hoje, às 15h, na Sala de Leitura da Cidade das Artes, na Barra da Tijuca.

Em São Paulo o destaque da programação fica por conta do espetáculo "Negra Melodia", que traz a atriz e cantora Zezé Motta ao palco da Caixa Cultural. Na apresentação, que acontece hoje, sábado e domingo, às 19h15, Zezé canta repertório que mescla músicas de Luiz Melodia e Jards Macalé.

Também no domingo, o Auditório Ibirapuera recebe os 25 coristas do Coro da Escola do Auditório interpretando canções de Dorival Caymmi e Vinícius de Morais no concerto “Um mar de paixão”. A partir das 17h, o grupo executa obras poéticas dos artistas relacionadas ao mar e suas metáforas com a paixão humana para comemorar o dia da mulher.

Baleiro abre homenagem do Rival aos 450 anos do Rio

No mês em que o Rio de Janeiro completa 450 anos, nomes de peso da música brasileira se apresentarão no Teatro Rival para comemorar o aniversário da cidade. Em março, Luiz Melodia, Zeca Baleiro, Beto Guedes e Mariene de Castro subirão ao palco do tradicional teatro do Rio de Janeiro, que completa 81 anos também este mês. O maranhense abre, hoje, a festa.

O cantor era presença frequente no Rival no início de sua carreira. Agora, 18 anos após o lançamento de seu primeiro disco e com outros 16 na bagagem, ele volta ao espaço acompanhado somente por seu violão. E aprova o ambiente intimista do teatro. “É um show que permite maior interação com o público, experimentar canções que normalmente não estão no repertório. Gosto muito”, comenta.

Além dos shows já agendados para hoje e amanhã, às 19h30, Baleiro se apresentará em outro horário, neste mesmo sábado, às 22h30. O Teatro Rival fica na Rua Álvaro Alvim, 33/37, Cinelândia. Ingressos à venda na bilheteria.

NOTAS

Juçara Marçal na Casa de Francisca, em SP

Hoje, às 22h30, Juçara Marçal apresenta seu primeiro disco solo no palco da Casa de Francisca, em São Paulo. O álbum foi eleito o melhor de 2014 e o espetáculo foi considerado o show do ano pela crítica. A casa fica na rua José Maria Lisboa, 139, Jardim Paulista.

Mostra celebra 50 anos de cinema de Paulo José

A mostra “Paulo José: meio século de cinema” entra em cartaz na Caixa Cultural do Rio de 10 a 22 de março. A programação exibe 16 filmes e 5 curtas, de todas as fases da carreira de Paulo José, um dos maiores expoentes das telas e dos palcos brasileiros.

Steve Hackett toca Genesis no Brasil

O guitarrista apresenta o show “Genesis Extended”, repleto de sucessos da banda de rock progressivo inglesa, como “The Musical Box” e “Supper's Ready”. As apresentações serão no Citibank Hall do Rio e São Paulo, domingo (8) e terça-feira (10).

Últimas de _legado_Notícia