Por monica.lima

A dois dias da estreia, a quinta temporada da série norte-americana “Game of Thrones” (GOT) já é considerada um fenômeno mundial. Na esteira do sucesso, os países onde acontecem as filmagens faturam com o turismo.

No ano passado, a Time Warner, dona da rede HBO, que produz a atração, experimentou uma audiência de 7,1 milhões de telespectadores, algo nunca antes visto na televisão a cabo. Desta vez, os números esperados são ainda maiores pelo lançamento simultâneo em 170 países. Além dos retornos diretos com novas assinaturas, cotas de publicidade e produtos licenciados, a série tem gerado toda uma cadeia de negócios paralela. As cidades onde se ambientam as filmagens, em pelo menos seis países, vivem um verdadeiro boom econômico graças ao negócio que investe US$ 6 milhões por episódio e funciona como uma vitrine ao turismo.

Dubrovnik é o principal cenário de "Game of Thrones"AFP

Espanha, Croácia, Irlanda do Norte, Islândia, Malta e Marrocos. As locações de GOT são uma verdadeira seleção de paisagens naturais exóticas e relíquias do medievo europeu, que têm instigado os fãs de todo o mundo a irem ver, com os próprios olhos, os cenários da série. Nesse sentido,um dos lugares mais beneficiados é Dubrovnik, na costa do Adriático croata, que funciona como set de “Kingsland”, a cidade fictícia comandada pelos maquiavélicos personagens da “Casa Lannister”.

A procura pela chamada “Pérola do Adriático” não é nova, a região está no roteiro de férias das famílias europeias há muito tempo. Mas, a chegada da produção americana mudou decisivamente o número e o perfil dos visitantes. Segundo autoridades locais, foram gerados milhares de empregos em equipes de apoio e empresas que aproveitam a alta do turismo. “Espero que ‘Game of Thrones’ faça por Dubrovnik o que os filmes da saga ‘O Senhor dos Anéis’ fizeram pela Nova Zelândia”, comenta o prefeito local, Andro Vlahuši.

O turismo responde por cerca de um sexto do PIB da Croácia. O país se gaba por ter a terceira maior quantidade de visitantes estrangeiros per capita na União Europeia. De fato, os viajantes aumentaram 6% em 2014, para cerca de 13 milhões. “O turismo de Dubrovnik vem crescendo 10% ao ano. Acho que a série é responsável por cerca de metade desse aumento”, diz Vlahuši. Crescimento semelhante também foi registrado em outras locações como Split e Šibenik, onde ruínas romanas milenares pontilham o litoral da região da Dalmácia.

De acordo com o prefeito, o seriado acrescenta US$ 10 milhões todos os anos à receita da cidade com o turismo. Mas isso é só o começo. A expectativa é que a experiência ajude a tornar o país ainda mais atraente aos estrangeiros. Embora os produtores do seriado tenham gastado apenas US$ 14 milhões para filmar no país, Dubrovnik já atraiu outros projetos cinematográficos, além de um parque temático de “Game of Thrones”.

Como a Kuna, moeda croata, é naturalmente desvalorizada e chegou a se depreciar mais 10% frente ao dólar no mês passado, turistas estrangeiros podem conseguir bons descontos. Em passeios de três horas que custam entre US$ 70 a US$ 350, os visitantes são levados aos sets de “Kingsland” no centro histórico de Dubrovnik e fazem uma caminhada pelas muralhas com vista para o lugar que foi palco da “Batalha de Água Negra”, um marco da série. Turistas mais aventureiros também podem caminhar até o Hotel Belvedere, abandonado, onde foi filmada a memorável cena de luta explícita entre os personagens “Víbora Vermelha de Dorne” e “Montanha”.

As crescentes atrações associadas à produção televisiva pode ser uma tábua de salvação para a economia da Croácia, em crise como toda a União Europeia. Em recessão desde 2009, o país convive com uma alta dívida pública e viu o PIB cair 12%, a terceira maior contração entre os países do bloco, depois da Grécia e do Chipre. 

Colaborou o estagiário Gabriel Vasconcelos

Você pode gostar