Arte circense vai além do tradicional em festival do Sesc

Terceira edição do Circos – Festival Internacional Sesc de Circo fica em cartaz até 7 de junho, em São Paulo, com debates e workshops

Por O Dia

A imagem do circo permanece gravada no imaginário popular através de icônicos palhaços com enormes narizes vermelhos. Mas, ao contrário das memórias mais remotas de infância, o circo não ficou parado no tempo. A linguagem da arte circense tem se sofisticado e produzido espetáculos que fogem do tradicional. Com o objetivo de apresentar um panorama dessas novas montagens, a terceira edição do Circos – Festival Internacional Sesc de Circo teve início ontem e fica em cartaz com apresentações até 7 de junho. A programação desse ano ocupa as 15 unidades do Sesc na Grande São Paulo, com 105 sessões de 28 espetáculos, provenientes de 10 países, mais o Brasil. Para Lucas Molina, um dos coordenadores do festival, o evento é um reflexo de uma soma de forças. “A arte circense tem se desenvolvido a partir de um movimento político ao longo dos anos, que tem fortalecido a demanda por novas atividades e, consequentemente, novos artistas. A partir do desenvolvimento das técnicas, novas dramaturgias específicas para a linguagem também despontam”, explica.

A carioca Circo no Ato apresenta peça “Febril”%2C inspirada em Gabriel García MarquezDivulgação

O Circos traz nesse ano uma programação majoritariamente inédita no país. Dos internacionais, 12 companhias e seus espetáculos pisam no Brasil pela primeira vez — entre elas, “Acelere!”, da Colômbia; “Cherepaka”, do Canadá; “Clockwork”, da Suécia; e “B-Orders”, da Palestina. A companhia colombiana Circolombia, que tem direção do brasileiro Renato Rocha, abriu o festival ontem e se apresenta hoje, às 21h, no Sesc Pinheiros. O espetáculo celebra os contrastes da diversidade na Colômbia a partir de números de acrobacia, equilíbrio e música.

“Motivamos um espaço de intercâmbio entre as companhias e grupos, para fomentar a discussão. Nessa edição, não trazemos nenhuma apresentação na lona, para discutir como a cidade interage com os espetáculos”, complementa Lucas Molina.

Também entre as atrações internacionais, o festival apresenta um representante do Oriente Médio. O casal palestino Ashtar Muallem e Fadi Zmorrod traz ao palco a ideia de quebra dos estereótipos. O nome do espetáculo explica bem isso, “B-Orders” (em inglês, “borders”, ou “fronteiras”) vem da experiência que os artistas tiveram quando estiveram em outros países e perceberam como as pessoas esperam certos comportamentos de quem é da Palestina.

Outro destaque da programação é “Febril”, da companhia carioca Circo no Ato, livremente inspirado na obra de Gabriel García Márquez. A montagem traz uma história festiva, na qual uma trupe de ciganos desenha a vida. O espetáculo está em cartaz hoje e amanhã, às 19h, e também no domingo, às 17h, no Sesc Bom Retiro.

Além dos espetáculos, outro ponto importante do festival é a extensa programação de debates, workshops e encontros que contribuem para a profissionalização dos artistas circenses e fomenta a criação de novos espetáculos. Mariana Pitasse (mariana.pitasse@brasileconomico.com.br)

ONDE ASSISTIR

O Circos - Festival Internacional Sesc de Circo está em cartaz até 07/06 em São Paulo. A programação completa está disponível no site: www.sescsp.org.br/circos

Mostra de Francis Ford Coppola reúne 25 filmes

Na ativa desde os anos 1960, o cineasta e produtor norte-americano Francis Ford Coppola, que marcou gerações com filmes como “Apocalipse Now”, “O Selvagem da Motocicleta” e a trilogia de “O Poderoso Chefão”, terá toda sua obra exibida em retrospectiva inédita e exclusiva no Rio de Janeiro, em São Paulo e em Brasília.

O primeiro filme de Coppola, “Tonight for Sure”, de 1961, integra, junto com “The Bellboy and the Playgirls”, do ano seguinte, o grupo dos “skin flicks” (filmes que mostram atos sexuais para provocar frisson nos espectadores). Sua filmografia B está representada em “Demência 13”, de 1963. Já a sequência do clã da máfia italiana, baseada na obra de Mario Puzo, sintetiza a obra dos anos 70, época em que Coppola deu ao público outro sucesso de público e crítica, “Apocalipse Now”, que será exibido na versão estendida “redux”.

Entre os 25 filmes, a mostra “Francis Ford Coppola: O Cronista da América” exibirá dois documentários sobre a obra do diretor e o contexto de produção.

A retrospectiva, que inclui um debate no dia 11 de junho (quinta-feira) com o crítico de cinema Gilberto Silva Jr. e o professor Rafael de Luna, terá um luxuoso catálogo com mais de 300 páginas sobre a obra do diretor e produtor.

ONDE ASSISTIR

CCBB-RJ: 3/6 a 29/6;
Odeon (RJ): 18/6 a 24/6; CCBB-DF e Cine Brasília: 25/6 a 20/7;
CCBB-SP: 1º a 27/7;
Cine SESC (SP): 23/7 a 29/7

Os ciclistas de Iberê Camargo em exposição virtual

Em cartaz no ambiente online, a exposição “As Bicicletas de Iberê Camargo” é a nova aposta do Itaú Cultural. Disponível em plataforma web e mobile friendly no domínio sites.itaucultural.org.br/bicicletasdeibere, a mostra tem duração prevista de um ano. Nela, são disponibilizadas 56 obras em um conjunto inédito em que aparecem ciclistas e bicicletas, incluindo pinturas, gravuras, desenhos e estudos, do final dos anos 1980 até 1990.

A exposição é uma homenagem do Itaú Cultural ao centenário de Iberê Camargo, morto em 1994 vítima de câncer no pulmão. Sem fugir da linha das exposições tradicionais, a mostra está dividida em quatro eixos — Corpo, Sentidos, Processo e Vida. Além das obras de arte e documentos, a exposição virtual traz 16 fotografias de diversos momentos da vida do artista, complementadas por 10 vídeos, com depoimentos de personalidades ligadas ao pintor.

NOTAS

Conversa com Damián Ortega no MAM Rio

Amanhã, às 14h, será realizada, no MAM Rio, uma conversa com Damián Ortega, além dos artistas Vicente Mota, Daniel Soave, Sergio Gabriel, Luis Dias e Charles Rocha, responsáveis pelas obras da exposição “O fim da matéria”, em cartaz até o dia 14/06 no museu.

Música no Aeroporto de Congonhas, em SP

De 03 a 22 de junho, o Aeroporto de Congonhas recebe a 2ª temporada da 2ª edição do projeto “Música no Aeroporto”. O local será palco de 40 shows instrumentais e gratuitos de bandas de blues, R&B, jazz, fusion, choro e música instrumental brasileira.

Pianista Luis Fernando Pérez e OSB no Rio

Pela primeira vez, o pianista espanhol que já conquistou os prêmios “Choc du Disc” e “Diapason d´Or”, Luis Fernando Pérez, chega ao Brasil para se apresentar com a OSB. O espetáculo acontece hoje, às 20h, na Sala Cecília Meireles, no Rio, sob a regência de Lee Mills.

Últimas de _legado_Notícia