Por marta.valim

De um vermelho carmim a um caramelo dourado, assim é o vinho do Porto, uma tradição portuguesa apreciada em todo mundo e que foi além do conceito de vinho de sobremesa ou aperitivo, pensado por alguns, podendo ser harmonizado com pratos como camarão e lula. Eles foram criados no século XVII para aguentar a longa rota pelo mar de Portugal até a Inglaterra. Como a bebida fermentava durante a viagem, foi acrescentada aguardente vínica, que interrompe a fermentação, deixando o vinho mais doce e com elevado teor de álcool, cerca de 20%. Os mais escuros são os Portos Vintage. Envelhecidos na garrafa, eles são completamente dependentes da safra: se o ano é bom, o vinho é bom. Por isso, muitos dizem que eles são uma obra divina. São delícias como o Duorum Vintage 2007, novo para os padrões de um vinho do Porto, frutado, com notas de ervas e taninos acentuados. Já os de cor âmbar são os Porto Colheita, envelhecidos em barrica de madeira antiga, eles são o resultado da excelência do enólogo em garantir o blend de uvas e o envelhecimento perfeito. É comum encontramos notas de frutas secas, nozes, avelã, mel e até iodo. Uma dessas preciosidades é o Burmester Colheita 1963, que pode alcançar até US$ 700 a garrafa. Como os produtores são obrigados por lei a guardar 1/3 da produção, existem verdadeiras raridades engarrafadas somente sob demanda, como o Porto Real Companhia Velha Jubileu, de 1867, a safra mais antiga existente em barricas. Seu preço pode chegar até US$ 2 mil a garrafa.

Produção premiada

A vinícola Aurora acaba de conquistar duas medalhas de ouro no Berliner Wein Troph 2014, com o Aurora Espumante Brut Chardonnay e o Brazilian Soul Moscato Sparkling Wine.
O primeiro também competiu no International Wine & Spirit Competition da Inglaterra, e ganhou bronze, juntamente com o Brazilian Soul Premium Selection Cabernet Sauvignon 2013 e o Aurora Varietal Chardonnay 2014.

Nova safra

A safra 2013 do Toro Loco Tempranillo já está no mercado. Ele é produzido na região de Utiel-Requena, na Espanha, com 100% de uva tempranillo, tem uma coloração rubi com reflexos violáceos, fresco ao paladar e com aromas de frutas vermelhas maduras. Comercializado pela www.wine.com.br, sua safra de 2011 vendeu 300 mil garrafas.

Pimenta branca com frutas vermelhas

Cor vermelha rubi intensa, aromas de especiarias do tipo pimenta branca combinados com notas de frutas vermelhas, assim é o Emilia Cabernet Sauvignon, que a vinícola argentina Nieto Senetiner acaba lançar. Produzido 100% com uvas cabernet sauvignon, ele é equilibrado, ideal para carnes na brasa, massas e queijos fortes.

OUTROS COPOS

BELGA FRUTADA

A cerveja belga Fantôme de Tous les D’Iâpes chega ao mercado nacional em parceria com a haveanicebeer.com.br. Ela é frutada com notas de limão, pêssego, maçã, morango, laranja, com toques de especiaria, eucalipto e agradável acidez.
A cervejaria é conhecida por produzir cervejas em pequenas quantidades e utilizar especiarias secretas.

NA MEDIDA CERTA

A Cônsul e a Skol se uniram para lançar uma cervejeira que mantém a temperatura ideal de -4°C, e não deixa a cerveja congelar. Elatem capacidade para armazenar até 75 latinhas de 350ml e conta com prateleiras ajustáveis que podem ser abastecidas com latas e garrafas grandes, além de longnecks.

UM NOVO DESIGN

A italiana Campari renovou sua garrafa, que ganhou a marca em relevo e cores mais suaves. Desde que foi criada em 1860, o design sempre foi uma preocupa-ção como mostra a primeira garrafa da bebida.

Você pode gostar