Porto di Vino importa 12 rótulos espanhóis

Para a seleção, o sommelier Bernardo Murgel, visitou as vinícolas e trouxe para o Brasil uma cava, um rosé, um branco e nove tintos, que juntos somam nove mil garrafas

Por O Dia

Sentar no sofá ou na poltrona, abrir um bom vinho e degustá-lo sem pressa. Essa experiência comum em cada casa pode ser realizada na Porto di Vino, que reúne 500 rótulos de sete importadoras em sua adega e acaba de importar exclusivamente 12 rótulos espanhóis. Para a seleção, o sommelier Bernardo Murgel, visitou as vinícolas e trouxe para o Brasil uma cava, um rosé, um branco e nove tintos, que juntos somam nove mil garrafas. O investimento inicial foi de R$ 200 mil. Entre os destaques está o tinto Acontia Ribera del Duero 12 meses 2009, elaborado com uma das uvas mais tradicionais da Espanha, a tempranillo. Ele é envelhecido durante 12 meses em barricas de carvalho espanhol, diferentemente da maioria dos vinhos, que utilizam barricas de carvalho francês.

Essa especificidade deixa o vinho com taninos suaves, notas de especiarias e sutis aromas de cereja e groselha. Outra aposta interessante são os vinhos da linha Alerys. O Alerys rosé 2013 é feito 100% com a uva bobal, característica da região de Utiel-Requena, uma denominação de origem espanhola. “Sua cor vermelha pode enganar e passar a impressão de um rosé pesado. Ao contrário, é delicado, fresco e delicioso. Sugestão perfeita para um final de tarde de verão ou para a beira de uma piscina”, aconselha o sommelier. E para quem prefere aromas de frutas vermelhas maduras, especiarias e chocolate, o Finca los Principes Crianza 2011 é uma boa opção. “É um tinto encantador, de grande equilíbrio e bom corpo. Versátil, pode ser bebido sozinho, acompanhado de queijos e frios, ou com pratos mais elaborados”, diz Murgel.

No estilo de Provence

O enólogo francês Michel Fabre aplicou as técnicas de Provence para a produção do Irene Antonietta 2014 batizado em homenagem à avó da proprietária da Vinícola Campos de Cima. Com uma edição limitada de 1,6 mil garrafas, ele combina as uvas cabernet sauvignon e merlot, tem aromas de morango e ameixas associados com notas cítricas de casca de laranjeira e limas.

Uma nova vodca

A vodca Kadov chega de cara nova ao mercado. Fabricada 100% com cereais, no molde das vodcas europeias, a marca ganhou garrafa produzida na Colômbia com vidro facetado, logomarca na frente e grafismos no verso, pintados sobre o vidro. A Kadov tradicional tem 37,5% de teor alcoólico e as versões Cranberry e Vanilla apresentam 35% de graduação alcoólica.

Drinques californianos

O mexicano La Calaca, no Leblon, lança linha de drinques assinada pela mixologista californiana Nora Furst. O destaque vai para a Caipirinha La Calaca, com cachaça, tangerina, limão e gengibre, e a Margarita Graviola Frozen. Outra aposta interessante é o Painkiller, com rum ouro, rum branco, creme de coco,abacaxi,laranja e limão.

OUTROS COPOS

Chocolate gelado
O conhecido chocolate língua de gato da Kopenhagen ganha versão gelada a partir do dia 15. É o Gelato Língua de Gato Doce de Leite, que a marca lança em parceria com a Dilleto. Ele tem recheio de doce de leite e cobertura de chocolate língua de gato.

Cerveja preta
A Cervejaria Dortmund, que fica em Serra Negra (SP), lança a cerveja Nostradamus. Ela tem coloração negra, espuma densa, aroma de café, e 4,8% de teor alcoólico. É uma autêntica stout, com malte e lúpulos selecionados, que harmoniza bem com sobremesas como cheesecake e petit gâteau.

Sorvete alcoólico
Pêssego com vinho, espumante com morango, zabaione, amareto, spritz e cerveja, preparado com a cerveja Hija de Punta. Estes são os sabores dos novos sorvetes da gelateria Officina del Gelato, em Copacabana, que têm tudo para fazer sucesso no verão.

Últimas de _legado_Notícia