Por monica.lima
Em condições controladas%2Co jipe mostrou porque é cobiçado por 'off-roaders' e publicações estrangeiras de pesoDivulgação

O automóvel sempre esteve ligado à superação: de distâncias, tempos, luxos... O carro atrelado à vanguarda ocupou tanto espaço que começou a perdê-lo. Os jovens, por exemplo, já não são seduzidos por formas e encontram mais prazer no virtual. Assim, a indústria rebola para atrair seus próximos compradores. Além de muita eletrônica e conectividade, a fórmula do 'posso chegar aonde bem entender' funciona. E muito. E o Jeep, nascido na II Grande Guerra, se encaixou nesse conceito com perfeição. Tanto que há 60 anos gera muitos filhotes. 

Nesse universo, a Ford apostou no novo Troller.  As capacidades reconhecidas do novo modelo foram experimentadas por Automania em campo de provas em Itupeva, interior de São Paulo, em unidade ainda pré-série. Em condições controladas, o jipe mostrou porque é cobiçado por 'off-roaders' e publicações estrangeiras de peso. Sob o capô, o jipão esconde a mecânica da Ranger, com motor turbodiesel de cinco cilindros com 200 cv e câmbio manual de seis marchas. Eixos Dana mais leves e mais robustos, suspensão e caixas de transferência e redução agregam peso, que chega aos 2.140 quilos em ordem de marcha, parcialmente compensados pela carroceria em compósito de fibra de vidro. Este material é o resultado da fibra prensada com resina e com reforços de aço. Aliás,um ponto fraco, pois esse tipo de carroceria não presume a deformação e absorção da energia de impactos e acaba sendo menos segura que um carro em chapas de metal. A capacidade ‘off-road’ aumentou: os ângulos de ataque e de saída passaram para 51°. A transposição de rampa agora é de 30°. No interior, traços que remetem à Ranger, como difusores de ar-condicionado, painel e porta objetos. Está prevista a instalação de sistemas de navegação, para-choques especiais e protetores de cárter, tanque de combustível, caixas de câmbio e de transferência, com chapas espessas de até 6 mm.

O preço do novo Troller, à venda mês que vem, será próximo dos R$ 108 mil, para a aposta de 100 emplacamentos por mês. Caro para a proposta, mas acessível em relação ao seu rival direto, o Jeep Wrangler, que sai por R$ 155 mil.

PONTO-A-PONTO

? A lógica do baixo custo/baixo preço deu resultado e a Renault lidera emplacamentos em maio, na Europa, com seus Dacia Logan, Duster e Sandero, este último com nova carroceria semana que vem no Brasil. O Velho Continente tem se recuperado da crise econômica pelo nono mês consecutivo e a marca romeno-francesa vai muito bem. Mal está a GM , que anunciou a retirada da marca Chevrolet e caiu 7,1%. Na União Europeia, onde a VW é a líder em números anualizados, nota-se grande procura pelas marcas Skoda e Seat, além de veículos 4X4. Progressos também na Jaguar-Land Rover e Lexus.

? Já no Brasil, depois da queda de 0,7% em maio em relação a abril e - 7,5% em relação a maio do ano passado, espera-se nova queda forte em junho, mês de Copa do Mundo e vendas diárias fracas. A queda acumulada no ano é de 5,2% mas o tombo será maior em junho. As previsões anuais deverão ser refeitas pelo presidente da Anfavea, Luiz Moan, na próxima entrevista da entidade, no início do mês. Entre as montadoras, Fiat é a líder, a VW recuperou a segunda posição à GM, a Ford está com a Renault nos calcanhares, com um ponto percentual de frente e a Hyundai acelera em quinto.

? O ronco da Harley-Davidson sintetizado está lá e a tomada, também. A HD aderiu à onda elétrica e começa a rodar pelos EUA para avaliar opiniões. O protótipo da Harley elétrica aparece no filme 'Os Vingadores 2 – A Era de Ultron’ .

Rubro-negro

Só para os europeus, a Ford oferece o New Fiesta Red and Black Edition. O destaque do carrinho está no motor 1.0 turbo de 140 cv, com potência por litro superior a superesportivos consagrados como a Bugatti Veyron. O pequeno chega aos 100 km/h em nove segundos e atinge a máxima de 201 km/h.

Airbag ‘furado’

Os airbags da japonesa Takata vão provocar recall de quase 11 milhões de veículos, segundo os últimos anúncios da Nissan e Mazda. Outras afetadas são a Honda, Toyota, Ford e Chrysler. São vários os modelos envolvidos e, no Brasil, trinta mil Corollas fabricados entre 2002 e 2003 estão incluídos no chamado para reparos.

Nurbürgring vai ferver

O tradicional Subaru WRX estará na dura prova de Nurbürgring 2015, Alemanha, conhecida por ser uma real corrida de resistência. A versão NBR Challenge usa peças mais leves, tração integral permanente
e motor de 340 cv. A Bentley já anunciou que também correrá.

Você pode gostar