Por monica.lima

Os R$ 6,5 bilhões de reais de investimentos no Brasil, anunciados pela presidente da GM, Mary Barra, vão se traduzir em R$ 1 bilhão por ano, aproximadamente. No alvo, o crescimento da produção com pesquisa e desenvolvimento de novos carros, que em um futuro próximo, vão buscar o mercado com o apetite semelhante ao do compacto Onix, um sucesso de vendas.

Desta vez, o foco estará no maior dos segmentos, o dos veículos de entrada. Como ninguém pode mais se dar ao luxo de errar, os projetos vão ser refinados em todas as instalações do grupo pelo mundo, a partir de plataformas de compactos. O Spark será, provavelmente, o embrião dessa história toda. Como o Spark propriamente é um carro muito caro para os padrões de produção e impostos do Brasil, a marca irá usar sua arquitetura para novos produtos, entre eles um hatch e um sedã pequenos, que vão gerar um filhote muito esperado: um SUV ultracompacto, com dimensões do Suzuki Jimny.

Versão do SUV compacto Divulgação


Este SUV, na foto, já teve uma versão conceitual apresentada na Índia. O Adra — se é que este nome irá prevalecer por aqui— é minúsculo e urbano, alto e vicinal como os brasileiros gostam desde a Palio Adventure e dos primeiros EcoSport. Deverá vir com acabamentos simplificados e tração dianteira para reduzir custos. Para agradar, totalmente conectado com sistemas multimídia de última geração. O modelito irá brigar forte com o VW Taigun, outro SUVizinho que vai nascer em parto prematuro do up!, sua mãe que não vai muito bem das pernas. O Taigun pode ser, de fato, a salvação da família up!.

Os projetos da GM, a exemplo da Ford com o Eco e o Ka, terão foco nos países emergentes e o Brasil exportará partes e processos para o mundo. Assim como o Ka, a marca deverá fazer um sedã menor que o Prisma, para substituir o jurássico Classic. Neste xadrez estão envolvidos o remanejamento de linhas e de fábricas consideradas ‘problemáticas’, como a de São José dos Campos, onde as relações capital-trabalho são muito ruins.

PONTO-A-PONTO

? A BMW programa o lançamento do elétrico compacto i3 no Brasil. O modelito que experimentamos em Frankfurt, ano passado, é de fibra de carbono e pode trazer um gerador auxiliar, a gasolina, de 600 cc, oriundo de scooter da marca. Os preços são incógnita, mas especula-se que girem perto
dos R$ 100 mil. A agenda está programada para 10 de setembro.

? A Ford Brasil não confirma, mas existe a expectativa de que o novo Troller seja lançado na América do Norte como a geração renovada do Ford Bronco. Para atender à normatização de segurança, a carroceria deverá ser em alumínio.

? A Dodge celebra 100 anos com várias versões, entre elas a do sedã mais potente do mundo, o Dodge Charger SRT Hellcat V8 Supercharged, com 717 cv.

? Oito fabricantes de veículos e 15 distribuidores de energia buscam uma solução padrão para a carga pública dos carros elétricos nos Estados Unidos. Na pauta, o abastecimento e protocolo de comunicação para os modelos.

? Uma lindíssima Ferrari 250 GTO 1962 foi arrematada em leilão, em Monterrey, Califórnia, por 38 milhões de dólares. O modelo teve apenas 39 unidades fabricadas.

? O resgate de uma joia do passado está sendo feito pela Divisão de Operações Especiais da Jaguar-Land Rover . O Special GT E-Type, de 1963, com 18 unidades programadas, teve doze delas concluídas à época e a marca resolveu terminar as seis remanescentes. Serão montadas à mão, em alumínio, com a numeração original de chassis e vendidas como clássicos de competição. Sob o longo capô , o mesmo seis cilindros em linha dos anos 60.

Crossroad, mas sem exageros

O Dodge Journey chega com acabamentos diferenciados e a inspiração off-road. A edição limitada Crossroad vem do México com motor V6 de 280 cv, sete lugares e preço de R$ 138 mil. Mas lhe falta a tração integral. No pacote, seis airbags, navegador GPS integrado, câmbio automático com seis marchas e som premium.

E na hora do ‘crash’...

A nova fase de testes da Latin NCap premia a segurança do Peugeot 208 , que obteve quatro estrelas de cinco possíveis na proteção de adultos. Os destaques negativos foram os Chevrolet Spark chileno, e Onix, com apenas três estrelas, cujo piso se abriu sob os pés do motorista. A instituição recomenda melhorias nos projetos.

Saveiro dupla

A VW continua atrás do prejuízo e lança a Saveiro cabine dupla, mas sem a terceira porta, para brigar com a Fiat Strada. Segundo a VW, a sua dupla é maior para passageiros e bagagem, que chega a 580 litros na caçamba. Os preços partem de R$ 47,5 mil e chegam aos R$ 60 mil.

Você pode gostar