A VW precisa de um 'up'

Brasil e EUA derrubam Volkswagen na briga pelo mercado mundial

Por O Dia

Os últimos números da Jato Dynamics sacudiram o board da Volkswagen. Os Doutores de Wolfsburg pularam ao ver a queda mundial de 0,9% no mercado, o que distancia a marca alemã do seus planos de ultrapassar a líder Toyota. As duas marcas mantêm uma disputa cabeça com cabeça na totalização anual, mas na comparação dos meses de setembro de 2013 com setembro de 2014 a VW caiu quase 1%. Para nós, nos trópicos, o significado pode ser maior ainda. A Jato atribui ao desempenho de vendas nos Estados Unidos e Brasil, com quedas de 19% e 17%, respectivamente, os motivos do freio travado da marca do povo em todo o planeta.

No nosso mercado, a troca de modelos de entrada, como a do Gol pelo up!, carro de insuspeitas virtudes e qualidades, não encontrou , ainda, respaldo nas vendas e 2014 terminará como o primeiro ano sem o Gol na liderança, depois de 27 anos na ponta.

A situação é mais estranha quando se fala que a VW não terá nenhum carro na liderança de seu respectivo segmento, algo inédito para a marca instalada no Brasil há 60 anos. E ainda, em consequência disso, pode amargar a perda do segundo lugar em vendas totais para a GM, que cresce em vários segmentos, como o dos hatchs e sedãs compactos Onix e Prisma e dos monovolumes grandes, como a Spin, com mais de 93% do mercado onde a VW não atua.

Neste cenário, a Fiat já conta as favas da vitória do Palio, o sucessor do Gol nas vendas nacionais, com vendas mensais em ritmo de ultrapassagem do antigo líder. Hoje, o Palio acumula 145.390 unidades em 2014 (até outubro) contra 147.186 do Gol. Gol na frente. Só que mês a mês o Palio, com sacrifício de margens, tem aberto diferença de 4 mil carros sobre o Gol. Conta simples: o Palio vai terminar o ano como líder. A conta das vendas diretas a governo e frotistas também impressiona: ela é melhor para o Gol. Mas nas vendas no varejo o Palio vence, o que reflete a preferência do mercado.

O up!, que provocou este movimento, vem em quarto lugar entre os carros de entrada. Nada mau para quem foi lançado em fevereiro. As novas versões Cross up! , já apresentada, GT e Taigun (este um SUV), ambas a caminho, devem melhorar essa conta.

Mas a VW precisa se movimentar nos demais segmentos. A picape Saveiro, com a nova cabine dupla na gama vem em segundo lugar, atrás da líder Strada. Só que a diferença é o dobro a favor da Fiat. Entre as picapes grandes, a Amarok amarga um quarto lugar, depois da S10, Hilux e L200, a despeito de sua rede concessionária ser imensa no país. A ausência na briga dos monovolumes talvez pese para a marca alemã, assim como o quinto lugar do Passat, atrás de Mercedes e BMW entre os sedãs de luxo. Nas stations wagons pequenas, a VW está em segundo com a SpaceFox, atrás, de novo, da Fiat, sua pedra no sapato. A Fiat apanha feio em algumas frentes, como a dos sedãs médios, onde o Linea capenga em décimo lugar, segmento onde a VW mantém o Jetta em sétimo. 

Entre os sedãs compactos, o Polo Sedan vem em quarto, depois do Cobalt, City e New Fiesta. Entre os pequenos, o outrora líder Voyage aparece em terceiro, com 16,31% de participação, atrás de quem? Do Siena que entra na conta com o Grand Siena. No mercado da hora, o dos SUVs, a VW tem só o Tiguan, médio, importado e caro, que mantém o décimo sexto posto no grid. A marca promete lançar o Taigun, sobre a plataforma do up!. O que se pode esperar em curto prazo é que a Fiat estabilize participação, a GM ultrapasse a VW no segundo lugar e o Gol perca o posto de mais vendido no país para o Palio. Para o ano que vem, dependendo das novas apostas, a marca de São Bernardo pode reconquistar um lugar melhor no pódio, sem deixar de olhar no retrovisor, pois bons produtos como os Renault, Ford e Hyundai, estão querendo seu quinhão.

Ainda nas alturas

A Ford apresenta no Salão de Los Angeles, que começa dia 21, o novo SUV médio Everest. Produzido na Tailândia, usa partes comuns às da nova Ranger. Isso nos força a levantar a dúvida, sempre desmentida pela marca, sobre a produção do modelo na Argentina, para confronto direto com a Chevrolet Trailblazer.

Adrenalina confirmada

A VW deverá produzir o Golf R400, modelo esportivo, duas portas com motor de 400 cv a 420 cv, segundo alardeou a revista britânica Car. Se confirmado, o conceito exibido no Salão de Pequim, em abril passado, ganhará as ruas no lugar do Golf 300, topo de linha oferecido ao mercado europeu hoje. A exibição do R400 será em Frankfurt 2015.

Dias rápidos

Estamos testando hoje, no autódromo de Goiânia, o apimentado Fiat 500 Abarth, que a marca está produzindo no México e venderá no Brasil por preços abaixo de R$ 80 mil. Em fim de ano animado, estamos ainda com o Mégane RS, recordista do laço norte de Nurbürgring e, em dezembro, o Nissan GT-R.

Últimas de _legado_Notícia