Balanço do Salão de Detroit aponta a retomada do crescimento do mercado

A organização do evento celebrou a presença de 275 mil visitantes no Cobo Center durante o último fim de semana, um contraste em relação aos sete mil que foram à edição 2014

Por O Dia

Ele não tem ar condicionado ou som. Não tem banco traseiro e as rodas são em fibra de carbono. Tudo em nome de uma dieta focada na performance. Assim é o Mustang GT 500 apresentado no Salão de Detroit, que termina domingo próximo, após ser conferido e clicado por 5 mil jornalistas do mundo todo. O GT 500 cultua o que torce o nariz dos ambientalistas. A performance por prazer. Quem gosta de andar de carro e sentir a rugosidade do asfalto, o ronco do motor e as curvas chegando rápido não liga a mínima para os atuais expoentes da tecnologia, os carros autonomos, como a Mercedes Luxury in Motion.

O Mustang GT 500%2C apresentado no Salão de DetroitDivulgação


De um lado ou de outro, o que se percebe é que o mundo do automóvel está cada vez mais múltiplo. Em Detroit passearam 400 veículos diversos, alguns deles expoentes e apostas de sucesso, como o Ford GT, que estreia sendo premiado pelo design. Além dos carros, a organização do NAIAS celebrou a presença de 275 mil visitantes no Cobo Center durante o último fim de semana, um contraste forte em relação aos sete mil que foram à edição 2014. A convergência para os carros elétricos, alimentados por pilhas de hidrogênio também ganha força e os primeiros lançamentos da Toyota e Honda.

Os fabricantes, pelo jeito, se recuperaram das derrapadas dos últimos anos, esqueceram a crise dos derivativos e partiram para o que fazem melhor: carros. Aos montes. Desde os a gasolina, beberrões e emocionantes, até os racionais e ambientais elétricos, eles são hoje um leque de modelos de propulsão, que passa ainda pelo híbridos gasolina/elétricos e os mais novos modelos a células de combustível, onde o hidrogênio em reação entrega a eletricidade para o deslocamento. Nesta última opção, a Toyota e a Honda estão na frente com veículos já a caminho das concessionárias, em alternativa real aos elétricos puros. Estes, nem por isso, estão ultrapassados. A Nissan, com seu Leaf, já chegou a 100 mil garagens nos EUA e tantos outros milhares em países da Europa.

Segundo os executivos da japonesa, a nova bateria de fluxo, com acumulação de eletricidade através de uma bateria líquida, irá entregar 600 quilômetros de autonomia e o reabastecimento em apenas três minutos. As portas do futuro estão escancaradas.

PONTO-A-PONTO

? Alta em alta. Enquanto as motos de baixa cilindrada derrapam na contenção de crédito, as de alta, acima de 450 cc, vão acelerando. A Honda apostou forte e tomou mercado com 32% de ‘share’ neste segmento. A marca, que já domina entre as de entrada, lançou sua última cartada com a CTX 700 N, uma custom com jeitão de cruiser. Do ano passado para cá a Honda alçou voos com três novas máquinas 500  e duas novas 650 cc.

? A sanha especulativa que extinguiu o autódromo do Rio interiorizou as provas e estimulou novas e bem resolvidas estruturas. O Mundial de Fórmula Indy estreia em Brasília, no autódromo Nélson Piquet, dia 8 de março.

? O estepe externo que agrada no EcoSport nacional será retirado na versão europeia. A marca descobriu que o adereço por lá não agrada. Os novos Audi A4 1.8 e o novo Bravo inauguram a temporada de lançamentos 2015. O Bravo recebeu leve reestilização e vai tentar reposicionamento no mercado, que não é muito bom para o médio da Fiat.

? E o Captiva, dado como ‘no telhado’ após informações de sindicalistas mexicanos, ganhou versão 2015 com My Link e rodas aro 18.

As várias faces do Evoque

O Range Rover Evoque NW8 é a terceira homenagem da marca à Grã-Bretanha. O modelo faz alusões à região da rua Abbey Road, em Londres, marco da efervescência dos anos 60. Por fora, a cor exclusiva e por dentro a versão base Dynamic do Evoque. A marca confirmou ainda a produção da versão cabriolet.

“O Dia” vai ao interior

A mídia esqueceu-se do interior. Diante desta realidade, o jornal “O Dia”, do Rio de Janeiro, desenvolveu um programa de cobertura móvel, com uma redação volante. “O Dia no Estado” parte para o segundo ano de atividades. O carro utilizado é uma Fiat Nova Fiorino, cedida pelo fabricante, parceiro do projeto, e equipada para este fim.

New Versa é feito em Resende

Com nota ‘A’ no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular o New Versa chegará ao mercado em dois meses. O sedã, montado sobre a plataforma do March, ganhou novo motor 1.0 de três cilindros, 12 válvulas, que gera 77 cv. O próximo produto de Resende será um SUV.

Últimas de _legado_Notícia