Peugeot aposta suas fichas no carro do momento, o SUV 2008

Empresa se reinventa para revitalizar marca no Brasil

Por O Dia

Mais que um lançamento, o Peugeot 2008 representa a tentativa de redenção da marca no Brasil, que já trafegou em estradas retas e tranquilas com o 206 e agora chegou ao ponto de reformulação. A marca azedou vários modelos, como a picape Hoggar e o 207, com pós-venda ruim e imagem idem. A suspensão traseira do 206/207 apresentou sintomas de corrosão e custo alto de reparo em muitas unidades e, nos 307, o câmbio automático deixou a desejar. Sem sucesso nos carros mais caros como o 508, a montadora teve que se reinventar. Na Europa, já reverteu a curva de queda, agravada pela recessão dos derivativos de 2008. Ironicamente o ano em que a especulação de Wall Street levou meio mundo ao buraco.

O modelo é produzido na fábrica da empresa em Porto Real%2C no Rio de JaneiroDivulgação

Principalmente os franceses, que estavam muito pendurados no dinheiro virtual. O nome do novo carro é mera coincidência e os seus atributos superam muito os dos seus irmãos. O modelo médio caiu no gosto dos europeus e promove filas de espera e três turnos na fábrica de Mulhouse, França. O 2008 é realmente um sucesso que agora chega nacional. Feito em Porto Real (RJ), promete entregar mais que seus concorrentes diretos, que nasceram na febre dos SUVs. O Jeep Renegade é forte no páreo. O Honda HR-V também. Mas o 2008 promete não fazer feio, com mais espaço e equipamentos que os rivais. O motor dele é conhecido. Primor de engenharia, o 1.6 THP é um propulsor leve, turbocomprimido, desenvolvido em parceria com a BMW. Ele equipa vários carros da marca, da parceira Citroën e os Mini, da BMW. No 3008, o SUV maior, ficou maravilhoso. Pujante, o THP casou com a proposta do 3008. Pena que seja só tração dianteira, como será o 2008.

Mas este tem um trunfo: o ‘Grip control, um sistema eletrônico de controle de tração que pode ser administrado pelo motorista e que virtualmente evita patinagens e atolamento. Não chega a ser um 4X4. Nem um 4X2. Boa solução que estará disponível na versão topo, a THP manual 6 marchas. Aliás, estranha gama com os automáticos com quatro marchas mais baratos que o manual THP de seis marchas. O motor das versões intermediárias, entretanto, é o 1.6 aspirado de 122 cv no etanol, com a proposta de entregar (mais) competitividade ao aquecido segmento. É o carro fundamental para revitalizar a marca no Brasil e tem atributos para isso.

PONTO-A-PONTO

? Bom em relação à fevereiro, em retração de 2,6% em relação à março do ano passado. O resumo da avaliação da Anfavea anota ainda queda de 17% no primeiro trimestre, o que, segundo o presidente da entidade, Luiz Moan, pode ser atribuída à falta e confiança do consumidor e dos investidores.

? No jornal “La Nacion”, o presidente da GM, Jaime Ardilla declarou que o maior problema da Argentina, hoje, é a desvalorização do real no Brasil. Segundo o executivo, os investimentos de US$ 700 milhões em Rosario, para a produção de um carro de entrada ‘muito moderno’ estão confirmados. Surpreso com a recuperação da economia argentina, Ardilla classificou como razoáveis as vendas de 683 mil unidades ano passado.

? A Nissan irá produzir uma picape média na Argentina. A MP 300 tem o tamanho da Frontier feita no Brasil. Fontes da marca desmentem que a nova picape vá substituir a Frontier em 2017, mas em mercado pequeno...

Nas velas da regata

Orgulho da engenharia da Volvo, o SUV grande XC90 é um coadjuvante na passagem da regata Volvo Ocean Race pelo Brasil. Os velejadores estão neste momento em descanso e reparos no porto catarinense de Itajaí, SC. As velas voltam a ser enfunadas no dia 18, com uma regata no porto, seguida pela partida para os EUA.

Monte seu Porsche

O Car Configurator da marca pode ser usado pelo iPad ou smartphone, meios pelos quais entrega um sextilhão de possibilidades de ter um carro exclusivo. Intuitiva, a página pode ser percorrida e o carro feito em cerca de 15 minutos. Interessante. Eu pensei no meu Macan para sair bem na impressão. Ele ficou esquisito com rodas azuis e interior bege.

Chegou o monstro

A ‘naked’ chega ao Brasil nas versões 1200 e 1200S, com preços que partem dos R$ 64,9 mil. Bela
na simplicidade, a máquina tem motores com 135 cv ou 145 cv, na versão S, e três modos de pilotagem — Urban, Touring e Sport, acionáveis com a moto em curso.

Últimas de _legado_Notícia