Por monica.lima

Após três anos de forte avanço, as receitas dos principais clubes brasileiros estagnaram em 2013. Esse é o principal dado apontado pela análise dos balanços de 23 grandes clubes realizada pela BDO Brasil.

O faturamento global das agremiações, que recentemente divulgaram seus números, foi de R$ 3,197 bilhões, contra R$ 3,139 bilhões em 2012. Um crescimento de apenas 2%.

O resultado ficou um pouco abaixo do PIB nacional, que no ano passado foi de 2,3%. O desaquecimento geral da economia é um dos fatores apontados pelos clubes para o freio em seus rendimentos. Até a Copa do Mundo, que teria dividido atenção e investimentos dos patrocinadores, também foi apontada como vilã. Porém, as falhas de gestão e a falta de visão dos dirigentes, principalmente em ações e estratégias de marketing, são os principais gargalos para o bom desempenho financeiro dos clubes. O São Paulo é o primeiro no ranking de faturamento. Mas se trata de uma liderança provisória, pois foi alcançada graças à venda do atacante Lucas para o Paris Saint-Germain, por cerca R$ 90 milhões. O destaque do ano foi o Flamengo. O rubro-negro carioca foi o que mais faturou em 2013 sem depender da venda de jogadores. O aumento das verbas de bilheteria e a aposta no programa sócio-torcedor, em que praticamente saiu do zero para 62 mil associados, estão entre as razões para o bom desempenho econômico do clube. O Fla cresceu 36% nesse segmento, com faturamento de R$ 272,9 milhões. O endividamento dos 23 clubes analisados cresceu 9% no ano passado, atingindo a marca de R$ 5,3 bilhões.

‘Preparem-se! O Hexa está chegando’

O título desta nota será o slogan grafado nas laterais do ônibus que o Brasil utilizará na Copa do Mundo. A frase foi a escolhida pelos internautas que participaram de eleição no site da Fifa. As outras duas alternativas eram “Engata a 6ª, Brasil”, a preferida desta coluna, e “Não na nossa casa”. Ontem a entidade divulgou as frases dos veículos de todas as 32 seleções que participarão do Mundial no Brasil. A ação tem o patrocínio da Hyundai. A montadora sul-coreana é parceira global da Fifa.

Eleição dos melhores do futebol e do marketing

Serão conhecidos hoje em São Paulo os vencedores do 3º Prêmio BrSM de Gestão do Futebol Brasileiro em 2013. São quatro categorias: Empresa Parceira do Futebol; CEO/Diretor Executivo; Executivo de Marketing e Futebol. Entre os concorrentes estão nomes como José Carlos Brunoro, do Palmeiras, e Fred Luz, do Flamengo, clube que mais arrecadou no ano passado sem venda de jogadores. E$porte Clube está no júri do prêmio.

Número da semana

R$ 1,27 bi: Esse é o valor do déficit operacional acumulado dos 23 maiores clubes brasileiros nos últimos cinco anos, segundo a BDO Brazil. Em 2013 o buraco foi de R$ 319,8 milhões. Apenas cinco clubes apresentaram superávit : São Paulo, Criciúma, Ponte Preta, Corinthians e Vitória. Santos, Grêmio e Botafogo tiveram os piores resultados

INVESTCRAQUE

Maurício, levantador bicampeão olímpico de vôlei

"O maior vencedor da história do vôlei nacional”. Essa é a frase de apresentação do site do ex-levantador da Seleção Brasileira de Vôlei, Maurício Lima. Se fosse com outro jogador poderia soar como presunção. Em 19 anos de carreira, 18 deles vestindo a camisa da seleção, Maurício conquistou 37 títulos entre clubes e seleção. Os dois principais foram os ouros em Barcelona/1992 e em Atenas/2004. Hoje, diretor de Vôlei e Relações Públicas do Brasil Kirin de Campinas, Maurício tem cerca de 70% do seu patrimônio investido em imóveis — galpões, salas comerciais e apartamentos residenciais — para locação. O restante do seu dinheiro está aplicado em CDBs.

Você pode gostar