Por monica.lima
De 01 de janeiro a 25 de maio%2C Neymar foi visto 2835 vezes na TV em anúncios para diversas marcasAndré Mourão/Agência O Dia

A nove dias do início da Copa do Mundo, os intervalos comerciais da televisão foram invadidos por propagandas associadas ao maior evento futebolístico do planeta. E o que chama a atenção no mais recente levantamento da Controle da Concorrência, empresa especializada no monitoramento de inserções publicitárias em mídia eletrônica, é que as marcas patrocinadoras do Mundial e da Seleção Brasileira não são as principais estrelas da grade publicitárias das emissoras do país. Líder no ranking dos maiores anunciantes do Brasil, a Casas Bahia é a marca que teve mais comerciais relacionados à Copa exibidos no período entre 04/05 e 14/05. Foram 601 inserções contra 253 da segunda colocada, a Unilever, dona da Rexona, que tem o craque Neymar no seu casting.

Entre as companhias com propriedades publicitárias na Copa ou Seleção, o McDonalds é a primeira que aparece na lista. A rede global de fast-food ocupa a sexta-posição no ranking, com 150 aparições. Garoto propaganda de mais uma dezena de marcas, o craque Neymar é o rei dos intervalos comerciais neste ano de Copa. De 01 de janeiro a 25/05, o atacante da Seleção foi visto 2835 vezes na tevê em anúncios para produtos da Claro, Rexona, Guaraná Antarctica, Volkswagen e Tenys Pé Baruel, entre outros. O segundo lugar pertence a um astro de outros Mundiais, Ronaldo Fenômeno, que vende, e caro, sua imagem para Claro, Extra, Brahma, PokerStar e Neo Química. Nesse mesmo período o R9 surgiu na telinha 2300 vezes, atuando em propagandas para essas empresas. Outro integrante da atual Seleção que fatura alto com a exposição gerada pelo Mundial é o técnico Luiz Felipe Scolari. Felipão apareceu 1233 vezes em comerciais para Sadia, Vivo, Walmart, Peugeot e Brahma.

Um museu à altura do Rei do Futebol

Com inauguração prevista para o próximo dia 14, o Museu Pelé pode ser considerado um dos maiores legados indiretos da Copa para o país. Com investimento de R$ 50 milhões divididos entre os governos Federal e Estadual, Prefeitura de Santos, onde está situado, BNDES e as empresas Santander, Vivo, Fosfertil e MRS Logística,  o empreendimento espera atrair 600 mil visitantes em seu primeiro ano; 50 mil durante a Copa.

Copa esvazia os hotéis de São Paulo

Capital latino-americana do turismo corporativo, São Paulo terá ocupação abaixo da média em seus hotéis na Copa do Mundo. Durante o período dos jogos, a capital terá 58% dos leitos ocupados. A média anual é de 66%, segundo dados da seção paulista da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABHI). A explicação para o fato é que a maioria das feiras e congressos foi transferida para outros períodos do ano.

Número da semana

US$ 5 mi: Esse teria sido o valor da propina paga por cartolas da Federação do Catar na compra de votos da eleição que indicou o país para sede da Copa do Mundo de 2022. O escândalo pode fazer com o que o país até perca a Copa. Uma decisão nesse sentido poderá ser anunciada no Congresso Geral da Fifa, que será nos dias 10 e 11, em São Paulo.

INVESTCRAQUE

Oscar Schmidt, maior jogador da história do basquete brasileiro

Oscar Schmidt é uma verdadeira lenda do basquete brasileiro e mundial. Gênio das quadras, o “Mão Santa” é recordista de participações em Jogos Olímpicos, com cinco, e o maior cestinha da história das Olimpíadas, com 1093 pontos. Sua maior façanha com a camisa da Seleção Brasileira foi na conquista dos Jogos Pan-Americanos de Indianápolis, nos Estados Unidos, em 1987, quando foi decisivo na heróica vitória sobre os até então imbatíveis donos da casa. Oscar tem 90% do patrimônio investido em imóveis para locação e os 10% restantes em aplicações bancárias tradicionais.

Você pode gostar