Por monica.lima
Santos é um dos times que não conta com patrocínio máster na camisaDivulgação

Dentro de campo, o humilhante 7 x 1 sofrido para a Alemanha tornou-se a maior tragédia da história do futebol brasileiro. Fora dele, os efeitos colaterais da acachapante derrota ainda serão sentidos por muito tempo. O primeiro reflexo será a queda drástica das receitas ligadas ao chamado produto futebol. Grandes anunciantes que investem no esporte confirmaram à coluna que quase a totalidade do budget foi gasta nos meses anteriores e durante o Mundial. O vexame verde-amarelo também desanimou qualquer nova ação ou campanha. Esse cenário é péssimo para Santos e Palmeiras. Os dois são os únicos grandes clubes do país que não contam com patrocínio máster de camisa. E já trabalham com a quase certeza de que não terão um até o final do ano. A solução será apelar para os chamados patrocínios pontuais, fechados por uma única partida. Outro grande paulista que prevê problemas é o São Paulo. O contrato com a Semp Toshiba, que iria até dezembro, foi encurtado por decisão da empresa e será encerrado no próximo dia 31. A direção são-paulina sabe que terá problemas para encontrar outro parceiro que pague os mesmos R$ 20 milhões que recebia do antigo patrocinador. A esperança da diretoria é a volta do ídolo Kaká, que fica no time até o final de dezembro. Com o encerramento inesperado do vínculo com a empresa, o São Paulo recebeu metade do valor do contrato. No Rio, o Botafogo deve salários para seus jogadores. Para terminar, a volta de Dunga à Seleção contribui ainda mais para desvalorizar a combalida e machucada paixão nacional.

Bradesco foca basquete e Rio 2016

Depois de ver o Itaú nadar de braçada na Copa, chegou a vez do Bradesco entrar em campo. Ou melhor, em quadra. O banco é patrocinador do Super Desafio BRA de basquete masculino. O torneio, preparatório para o Mundial da Espanha, será disputado no Maracanãzinho, no Rio, entre os dias 31/07 e 02/08 e terá a participação das seleções de Brasil, Argentina e Angola. O banco apoia também a Olimpíada de 2016.

Peças da despedida de Deco vão a leilão

Na sexta-feira, o ex-jogador Deco fará seu jogo de despedida no Estádio do Dragão, no Porto, em Portugal. Em campo, além dele, ex-companheiros como Messi, Ronaldinho Gaúcho , Puyol e Iniesta. A bola e as camisas usadas na partida serão leiloadas no site Bazar Sports, que tem Deco como sócio. Mas a primeira peça em leilão e que terá lances até o final da próxima semana é de uma camisa que Neymar usou no jogo contra a Croácia.

Número da semana

R$ 757,4 mi: Esse é o valor da dívida do Flamengo, o clube com o maior passivo entre os grandes do Brasil. Em segundo, com um terço da torcida do rival, aparece o Botafogo, com R$ 699,3 milhões em débitos. Em situação financeira caótica, o clube está devendo dois meses de salário e cinco de direitos de imagem para seus jogadores. Logo depois da dupla aparece o Vasco.

INVESTCRAQUE

Giba, campeão olímpico de vôlei em Atenas 2004

Poucos atletas simbolizaram tanto o esporte que praticaram quanto Gilberto Godoy Filho, o Giba. O ponta foi a imagem da Seleção Brasileira de Vôlei nas conquistas das medalhas de ouro em Atenas/2004 e prata em Pequim/2008 e Londres/2012. O “Giba Neles” ficou famoso na voz de Galvão Bueno na olimpíada grega. Hoje comentarista da Globo, Giba tem 60% de seu patrimônio investido na compra e venda de imóveis, 20% num fundo de previdência privada nos Estados Unidos e os 20% restantes em aplicações como CDB.

Você pode gostar