Por douglas.nunes

Foram 64 anos de espera jogados fora em exatos 29 minutos, tempo que a Alemanha precisou para exterminar a ilusão brasileira de conquistar seu primeiro título mundial em casa após o fracasso de 50. A derrota para o Uruguai virou bala de troco perto daquele que ficou tristemente conhecido como Mineirazzo. Porém, o vexame brasileiro na Copa começou muito antes do apito do mexicano Marco Rodriguez, que entrou para a história como o árbitro da maior derrota do futebol brasileiro.

A goleada teve início quando as categorias de base dos clubes daqui passaram a formar jogadores tipo exportação. Para atender as exigências dos “clientes” europeus, abriu-se mão da técnica e do improviso e priorizou-se a força física e a disciplina técnica. O resultado disso é que hoje forma-se mais zagueiros e meio-campistas marcadores do que meias e atacantes. Perdeu-se aquilo que havia de melhor e igualou-se ao Velho Mundo no que ele sempre foi e continua superior. Fora de campo, então, a goleada é de 21 x 1. Campeonatos longos, deficitários e mal organizados; clubes quebrados e à beira da falência e uma CBF que só se preocupa com as gordas cotas de patrocínio que recebe completam o cenário terra arrasada no “País do Futebol”. E para fechar o ano a presidente Dilma Roussef entregou o Ministério do Esporte para um pastor deputado expulso do PFL por carregar malas de dinheiro da Igreja Universal e a Câmara dos Deputados aprovou projeto de renegociação das dívidas dos clubes sem cobrar nenhuma contrapartida ou exigência. Se 2014 foi assim, imagine o que será 2015.

Medina: o melhor do esporte em 2014

Um garoto de 21 anos foi o responsável pela maior alegria do esporte brasileiro num ano que sempre será lembrado pelos numerais 7 e 1. O paulista Gabriel Medina se tornou o primeiro brasileiro campeão mundial de surfe. Os nadadores Felipe França e Etiene Medeiros, a judoca Mayra Aguiar, o ginasta Arthur Zanetti e as velejadoras Martine Grael e Kahena Kunze completam o time dos melhores do esporte em 2014.

Atletas contra Dilma e seu novo ministro

O novo ministro do Esporte, George Hilton (PRB-MG), irá assumir a pasta sob pesado bombardeio. Ontem o grupo Atletas do Brasil, entidade que conta com nomes como Ana Moser, Raí, Hortência, Flávio Canto e Gustavo Borges, entre outros, divulgou manifesto criticando a indicação de Hilton ao cargo e o uso do ministério como instrumento de barganha da presidente Dilma Rousseff e de seus aliados.

Investcraque

Vanderlei Cordeiro de Lima,ex-maratonista medalha de bronze em Atenas-2004

A cena está na galeria das mais impressionantes imagens olímpicas de todos os tempos. Vanderlei Cordeiro de Lima liderava a Maratona dos Jogos de Atenas, em 2004, quando, a apenas sete quilômetros do final, foi abalroado pelo padre irlandês Cornelius Horan. Com o tempo perdido e o desequilíbrio emocional causado pela ação do fanático, Vanderlei chegou em terceiro. Mas o episódio o fez até mais famoso que o vencedor, o italiano Stefano Baldini. Dez anos depois, Vanderlei recebeu este ano do COB a mais alta comenda do esporte nacional: o Troféu Adhemar Ferreira da Silva. Fora das pistas desde 2008, o ex-atleta investe a maior parte do patrimônio em imóveis comerciais e residenciais para locação em Campinas e Maringá e uma pequena parte em caderneta de poupança.

Você pode gostar